RELACIONAMENTO AMOROSO

Abusivo

O que é um relacionamento abusivo?

É um relacionamento que tira a liberdade de uma pessoa e que a prejudica de alguma forma. Para acontecer é necessário que haja um autor. O autor da agressão pode fazer uso da manipulação, do poder e da vitimização.

 

Nesse tipo de relação, o controle existe em várias esferas: roupas, amizades, tempo, dinheiro...

O relacionamento abusivo poderá acontecer por meio da agressão física ou verbal, também no âmbito do constrangimento psicológico. Neste artigo ficaremos apenas na psicologia do relacionamento abusivo.

 

O abuso psicológico é perverso e astucioso. Mesmo que sua marca seja invisível aos olhos, o resultado pode ser devastador.

Como é viver momento a momento num relacionamento amoroso abusivo?

 

Bastante privada de respeito, afeto e carinho, a pessoa que é vítima de um relacionamento amoroso abusivo se sente invadida, dentro do próprio direito de viver com dignidade.

O parceiro que faz a agressão por sua vez, se coloca como vítima. Enquanto a própria vítima se sente culpada.

 

Muitas vezes, ela se percebe sem meios para sair desse círculo vicioso. Enquanto todos à sua volta, silenciosamente assistem o espetáculo de horrores.

Como acontece o relacionamento tóxico?

 

 

O começo do relacionamento abusivo

No início a agressão é verbal ou por meio de comportamentos que abalam psicologicamente a pessoa que é vítima, por exemplo, xingamentos, controle excessivo, manipulação e todas as outras formas de opressão. No passo seguinte, pode acontecer agressão física, como socos, empurrões, chutes...

 

Quando a pessoa que provoca a agressão percebe que o relacionamento se romperá, pode iniciar a fase seguinte, que chamamos de lua-de-mel.

Na lua-de-mel, o indivíduo promete que não fará mais isso. Ele diz que o amor que sente é muito grande, razão de fazer o que faz. Com isso, a pessoa que é vítima acaba perdoando, pois se sente cuidada (em alguns casos).

Sinais mais comuns do relacionamento abusivo:

  • Ciúme exagerado;

  • Agressão física ou psicológica;

  • Privação da liberdade;

  • Ataque a privacidade do outro;

  • Ameaça; 

  • Humilhação;

  • Manipulação e chantagem;

  • Críticas severas ou ataque a autoestima.

TRANSTORNO DE PERSONALIDADE 

DEPENDENTE

Conceito

TRANSTORNO DE ESTRESSE PÓS-TRAUMÁTICO

Conceito

AMOR NÃO CORRESPONDIDO

 

Amar e não ser amado

Conheça os efeitos negativos do relacionamento abusivo

 

Tudo aquilo que vivenciamos em nossa vida, reflete na maneira como sentimos, como nos vemos e mantemos nosso equilíbrio. 

É muito difícil dizer que um relacionamento não afeta uma pessoa. Pois, o relacionamento está entrelaçado com a experiência de como alguém se percebe valorizado pelo ambiente em que está. 

Além de afetar a autoestima e a autoimagem, um relacionamento abusivo pode paralisar a capacidade de ação de alguém que é vítima desta situação. Assim, essa pessoa se torna cada vez mais apática, achando realmente que não tem saída para ela. 

Problemas psicológicos podem aparecer também relacionamento tóxico

Sendo tratada como se "não merecesse nada", a pessoa que sofre de um relacionamento abusivo pode ficar propensa a desenvolver problemas psicológicos, como depressão, transtorno de ansiedade,  transtorno de identidade. Em alguns casos ocorre também o suicídio.

A vergonha pode surgir 

Muitas vezes, essa pessoa se isola, sente vergonha daquilo que lhe acontece. Assim, teme que os outros descubram que ela vive num relacionamento ruim, passando a ser julgada. 

Machucada e muito ferida, seu pensamento também está afetado devido a situação difícil que sofre. Desta forma, fica difícil para ela refletir e enxergar o quanto de valor tem. Ela tem dificuldade para se ver de forma diferente, mesmo sendo inteligente, capaz e especial, ela se sentirá reduzida àquela situação.

O que a pessoa faz para tentar superar o problema?

 

Sem saber o que fazer, é comum a pessoa que é vítima de um relacionamento abusivo tentar ganhar a simpatia do manipulador, através de muito esforço e dedicação.

 

Contudo, nada do que ela fizer será suficiente para agradá-lo, pois hora ou outra o mesmo aborrecimento lhe acontecerá.

Como uma pessoa maravilhosa se tona vítima

de um relacionamento abusivo?

 

O grande sonho de encontrar um dia o amor

 

Muitas vezes, o indivíduo fica envolvido por forte desejo de ser amado por alguém ou até mesmo de viver um amor romântico. Ele se apega a algumas ideias que correspondem a uma ilusão.

 

Envolto por um cenário de devaneio, não é possível deslumbrar o palco real da vida, e com isso, o sujeito se envolve em relacionamentos abusivos. Achando ter encontrado "o grande amor da sua vida", ele passa a atribuir um valor excedente a esse amor - enxergando coisas que a pessoa amada não tem.

 

As ilusões representam necessidades do próprio sujeito, colocados na relação amorosa, que na realidade não é aquilo que ele espera.

Cuidado com o parceiro que tenta destruir sua autoestima

O parceiro geralmente é aquele que vai colocando na cabeça da pessoa que é vítima, que ela não tem atributos de valor. Inclusive pode deixar bem claro que se ele for embora, ela não conseguirá outro relacionamento.

 

Nesse tipo de relação, elogios genuínos dificilmente ocorrem (a não ser para manipular), e a pessoa ofendida se sente dentro daquele papel de inferioridade, como se fosse real.

 

O parceiro também pode passar uma ideia de que está fazendo um favor por estar naquela relação amorosa com ela. O intuito dele é de criar um pensamento, que sem a sua presença ela não conseguirá seguir adiante.

Formas de violência

 

Física, psicológica, sexual, moral, patrimonial e econômica.

Maria Cristina S. Araujo

O parceiro provocador coloca nesta pessoa uma necessidade que não existe, no qual ele assume um papel de suma importância na vida dela. Ele ridiculariza a possibilidade dela ficar sozinha e de não dar conta, como se ela não tivesse capacidade para isso. 

Mesmo que esta pessoa tente terminar com a relação, esse indivíduo se usará de muita manipulação. Principalmente tentará destruir a autoestima dela, para que ela não tenha força para terminar com a relação. 

É importante que a pessoa que é vítima questione: "Se eu sou tão ruim assim, porque você não me deixa ir embora?" Abra os olhos, você é ótima, ninguém fica com quem não tem valor.

 

Falta de reconhecimento do que está acontecendo

Aquele que está vivendo um relacionamento ruim, dificilmente nomeia como "relacionamento abusivo". 

 

Às vezes, a pessoa que sofre a agressão acredita: que as coisas no futuro serão diferentes. Ela também pode atribuir a si própria a função de fazer o seu parceiro mudar, pegando para si atributos e responsabilidades que não são dela. Nessa situação ela poderá ficar durante anos.

 

Quem é o parceiro provocador do relacionamento abusivo?

 

Como o parceiro provocador relacionamento tóxico é visto pelas pessoas?

Geralmente o sujeito trata os outros muito bem. Socialmente é considerado ótimo pelas pessoas, principalmente as que obtém seus generosos favores.  Enquanto trata com desprestígio o parceiro da relação.

Muitas vezes, essa pessoa que exerce a manipulação, também precisa de ajuda psicológica. Porém, ela poderá não perceber isso, achando tudo aquilo muito comum.

O indivíduo tem consciência do que faz?

A pessoa que manipula tem intenções de conseguir algo com isso. Outras não têm conhecimento de que aquilo que está fazendo é realmente prejudicial para o outro.

Existe aquele que também faz de tudo para ter a certeza de que é amado. Então, provoca situações constrangedoras no parceiro, para que se sinta amado toda vez que é perdoado.

 

Isso mostra uma certa insegurança nessa pessoa, que não consegue se entregar a um relacionamento por felicidade, mas vivendo em função de uma necessidade interna: de ser confirmado a todo momento.

É possível um dia ele mudar? 

Para isso acontecer, é necessário que ele reconheça o quanto seu comportamento é prejudicial. 

Com motivação, consciência e desejo para mudar, ele pode repensar sobre seus atos. É preciso que ele queira viver um relacionamento melhor, inclusive para ele mesmo.

De que forma o ele consegue o que quer?

A pessoa que agride geralmente sabe quais são os pontos fracos do parceiro, no qual ele cutucará para causar toda aquela situação. 

O indivíduo é feliz judiando do parceiro?

A posição de afligir o outro, lhe ocasiona muito gasto de energia e também desgaste emocional.

 

O relacionamento abusivo é um tipo de relação em que não é possível viver feliz. Pois, nenhuma das partes consegue descansar, relaxar e curtir a presença do outro.

 

O bom relacionamento é aquele que existe a cumplicidade, o afeto e a felicidade.

Como geralmente é o a pessoa que é vítima

do relacionamento abusivo?

 

 

Quem está propenso a passar por um relacionamento tóxico?

O relacionamento abusivo pode acontecer com qualquer mulher e com qualquer homem, mesmo sendo eles fortes.

 

Qualquer pessoa está sujeita nessa vida a passar por alguma instabilidade que a deixe vulnerável. A vulnerabilidade permite que a porta fique aberta para relacionamentos abusivos. 

Perder um emprego, ser traído, vivenciar o luto pela morte de alguém, falência financeira, doença, mudança de país. Enfim, muitas podem ser as situações, que levam o sujeito a ficar mais susceptível ao abuso.

A dependência emocional pode ser uma fator de risco

Uma pessoa que possui uma certa dependência emocional do outro, tende a não perceber a situação de abuso que está envolvida.

 

A dependência emocional a faz solicitar coisas desse outro, com intuito que ele supra suas necessidades, principalmente a de ser aceita e amada.

Baixa autoestima também é um fator importante. Pois essa pessoa tende a pensar que precisa de alguém para amá-la, protegê-la, cuidá-la. Por sua vez, o outro fingirá suprir essa falta, enquanto a magoa cada vez mais e a faz permanecer naquela situação.

 

"Construa o amor se amando. Isso é amor."

"Construa o amor se destruindo. Isso é relacionamento abusivo."

Maria Cristina S. Araujo

A insegurança pode ser um fator de risco

 

Existem pessoas com histórias difíceis de verdade, algumas aprendem e avançam, levando grandes lições para a vida, enquanto outras se tornam mais vulneráveis.

Uma pessoa insegura pode ser alvo fácil. Ela também mantem o relacionamento abusivo, mesmo sofrendo muito. Pois, teme ficar sozinha, receia não mais encontrar alguém que a queira.

 

A visão de si mesma está rebaixada. Não sabe como redefinir sua identidade, pois está totalmente ligada ao relacionamento. 

A falta de autoconhecimento pode ser um fator de risco

A falta de autoconhecimento também é um elemento que influência: o quanto é possível acreditar naquilo que o parceiro está dizendo sobre si. Assim, ela se acha errada, feia, estranha - acreditando que vale menos que as outras pessoas.

Sem questionar, ela passa dia após dia, achando que merece viver em toda aquela situação constrangedora. 

Ignorando os próprios sentimentos o sujeito não percebe o abuso acontecendo

Quem vive um relacionamento abusivo, independente de ser homem ou mulher, em certo momento sente que há algo de errado com tudo aquilo. Muitas vezes, o indivíduo não observa aquilo que o incomoda, tenta se desviar do assunto, negando a situação.

Mesmo que amigos e parentes tentem alertá-lo, ele também pode ignorar.

Sair de um relacionamento abusivo é um ato de responsabilidade da própria pessoa. Precisa de uma dose de coragem para enfrentar a situação, e, essa ideia demora certo tempo para amadurecer.

Às vezes, é assistindo um filme, observando depoimentos, lendo um artigo como esse - que essa pessoa toma consciência daquilo que lhe acontece. Eu já atendi muitos casos assim, em que o sujeito não escutava os familiares e amigos.

Quando o sujeito nunca passou por um relacionamento abusivo, é difícil para ele se perceber dentro de uma história dessas.

 

Contudo, a situação é tão constrangedora que marca para sempre o sujeito. Muitos a partir de uma primeira experiência negativa, já ficam alertas para os próximos relacionamentos.

 

Conheça como é o relacionamento abusivo com os homens

 

Quando o homem é a vítima - o que acontece?

Quando falamos em abuso, tão logo pensamos na mulher que sofre violência. Entretanto, existe uma parte pouco citada no que se refere aos homens.

 

Quando o homem se torna vítima, ele se sente muito humilhado, além da complexidade em que está envolvido. Mesmo sofrendo, ele ainda tem que lidar muitas vezes com piadas e sátiras. 


Existe mulher que sabe também como explorar o ponto fraco dele, conseguindo-o fragilizar.

Dentro desse homem está escondia a vergonha, não apenas a vergonha íntima, mas também aquela que é social. Ninguém ri de uma mulher que apanha, mas de um homem "sim".

Muitas vezes, ele é uma vítima calada. Ele não compartilha o que sente e pensa, não conversa com familiares e nem amigos, teme ser julgado e rechaçado - isso lhe soma a muita tristeza. 

Quando eles vão procurar a justiça, geralmente se refere a questão financeira ou casos de alienação parental, por exemplo.

Como não continuar sendo vítima de um

relacionamento tóxico?

 

 

Como enfrentar a situação?

 

Há um momento em que a pessoa que sofre com o relacionamento abusivo precisa fazer uma reflexão sobre quem ela é de verdade.

 

Estando ciente de sua personalidade, ela tem que encarar esse indivíduo que só a maltrata. Sem limite, o parceiro fará o que sempre fez. Esse limite precisa ser posto por ela.

Com o autoconhecimento, ela reconhece o seu próprio valor, e, se torna mais resistente sobre as manipulações que possam surgir no meio do caminho. 

Uma vez desenvolvido o amor próprio, ela não vai querer ser tratada de qualquer maneira. Principalmente, não ficará num relacionamento abusivo sem fazer nada à respeito.

 

Não se deixe enganar pela segunda vez

 

Não deixe que o desejo de estar num relacionamento encubra o que você está sentindo.

 

Se estiver percebendo algum incômodo, com a forma que está sendo tratado pelo outro, não ignore, faça contato com aquele sentimento. Analise a situação e tome uma posição.

Mesmo que esse outro tenha atitudes positivas com você, saiba que isso não é suficiente para mascarar a situação, em que você se sente totalmente agredido.

 

Você também é uma pessoa muito importante, e caso não tenha feito nada que justifique a forma em que é maltratada, reflita se é justo que isso permaneça e se intensifique em sua vida.

Procure ajuda se for necessário

Não está conseguindo sair de um relacionamento no qual percebe coisas erradas? Já falou com amigos, familiares, e mesmo assim, parece sem forças para resistir as manipulações? Talvez seja hora de ir para a terapia - para dialogar com essas coisas.

O que você não pode é se acostumar com o sofrimento, acreditando que a vida é somente isso.

 

Caso perceba que sua vida corre risco, não fique com dó do parceiro, faça uma denúncia junto ao órgão responsável.

O primeiro passo é difícil

 

Não deixe que a vergonha lhe impeça de tomar as rédeas da sua vida.

 

Muitas vezes, o indivíduo não quer mostrar para os outros a situação difícil que está passando. Não quer que ninguém saiba que seu relacionamento não deu certo. Esconde, esconde, até que um dia a situação foge totalmente de controle.

 

"Respeito baseado no medo, é a receita certa para a covardia."

Maria Cristina S. Araujo

Então, o primeiro passo diz respeito a você olhar para a situação real. Deixar também qualquer orgulho ou vaidade, assumindo que as coisas não são do jeito que você gostaria ou sempre sonhou. Não se importe tanto com o que os outros vão achar. A preocupação tem que ser com você - ficando bem daqui para a frente! 

Como se transformar positivamente

após um relacionamento abusivo?

 

 

Descubra aquilo que você mais precisa

 

Se dentro de você tem uma voz dizendo "que não pode ficar sozinho", avalie se isso é verdade.

 

Se você tem disposição para fazer o melhor para sua vida, então provavelmente as coisas dependem muito da sua vontade.

 

Não tenha medo, principalmente se você é aquela pessoa que se banca bastante, e se não é, sempre é hora de aprender. Não é verdade?

Com a maturidade percebemos que a vida passa, e que o importante está nas coisas mais simples, entre elas "a forma em que somos tratados pelos outros".

Se um amigo, um amor, um familiar, te trata como se não houvesse dignidade em você - se afaste dele. "Antes só do que mal acompanhado", esse ditado popular é bem verdade. 

 

Mesmo que seu coração doa, você poderá construir relações ótimas para você mesmo, e isso refletirá na sua qualidade de vida daí para a frente.

 

"É amor quando te faz feliz e aumenta sua autoestima."

Maria Cristina S. Araujo

Se afaste de quem não vale a pena

Existem coisas que são realmente bem sérias, principalmente quando envolve a saúde e a própria vida.

Algumas relações são tão precárias, que nem precisa acontecer a agressão física para serem danosas.

Há casos em que as pessoas não encontram saída, a não ser em tirar a própria vida. Se você está passando por essa situação, não faça isso.

 

Busque ajuda, fale com alguém, pois às vezes se afastar de pessoas danosas já é o suficiente para que a mudança positiva aconteça. Saiba que por tudo que você já viveu - merece mais uma chance para ser feliz!

Nada na minha história foi sem querer: eu colaborei para que fosse escrita assim, e por estas e outras, assumir o que sou, é um atrevimento sem fim!

Prazer!

Me chamo "Guerreira" e carrego comigo uma bandeira que diz: "Sou a dona do meu nariz!"

Mell Barcellos

Perdoar não é conviver

Existem alguns dogmas, principalmente religiosos e sociais, onde se fala sobre o "perdoar".

Exercer o perdão pode te fazer muito bem, desde que não saia da "boca para fora", mas que parta do coração. Porque você se sentirá com a vida mais leve, sem ter que relembrar todo dia de "fatos tristes". 

O perdão é um processo que não ocorre de uma hora para outra. É preciso que haja elaboração de toda a situação. O perdão não é algo imposto, mas vivenciado. 

Mesmo que a sociedade coloque para você de que "deve" conviver com a pessoa que te agrediu após perdoá-la, acredito como psicóloga, que cada um conhece o seu próprio limite, devendo olhar com crítica as imposições sociais.

Perdoar é um ato que pode te fazer bem. Entretanto, conviver com o agressor é outra questão, que envolve o que você quer para sua vida nos anos seguintes, e, quais características de pessoas você escolhe partilhar sua jornada. Novamente aqui, estou falando de "escolha consciente" e não de "imposição". Imposição tira sua liberdade e o teu direito de ser feliz. A escolha faz você refletir e se sentir forte, amadurecendo e crescendo.

"Abrindo os olhos" para aquilo que te faz bem, você verá um mundo mais colorido e cheio de amor!

Maria Cristina Santos Araujo
Psicóloga SP - 06/108.975