CRISE DOS 40 ANOS FEMININA

A idade da loba

Crise dos 40 anos na mulher

Amadurecer significa assumir responsabilidade pela sua vida.

Fritz Perls

 

O que é a crise da meia-idade?

Se trata de um momento em que a mulher se vê impelida a olhar para si. E, à partir disso, fazer alguns questionamentos que até então, estavam encobertos. Ela sente inquietação e quer descobrir o significado de sua própria vida!

Essa fase está ligada ao tempo cronológico e ao também biológico. Algumas poderão apresentar os sintomas aos 35 anos (ou ainda mais cedo), ressurgindo no momento da menopausa.

Cada mulher vivenciará de forma singular. Algumas poderão sentir o efeito da crise por 6 meses, outras até 1 ano, mas o tempo é bem relativo.

 

O desejo da mulher

Nessa fase, a mulher não aceita "sobreviver".

 

Ela deseja novidades, está alerta as próprias necessidades e sonhos ainda não realizados.

 

Vivenciando um turbilhão de emoções, ela reavalia se cada um das pessoas que convive, devem permanecer ou não em sua vida.

 

Cabe aqui salientar, que a nova mulher não medirá esforços para fazer as correções necessárias, que a conduza a felicidade e ao êxito.

 

Nesse caminho, ela encontrará alguns conflitos, dor, culpa. Leia até o final do artigo para saber muito mais! Boa leitura!

BAIXA AUTOESTIMA NO TRABALHO

 

Conceito e dicas....

COMPLEXO DE CINDERELA

 

Insegurança emocional

SEM DEPRESSÃO

 Como sair da crise dos 40 anos?

Atitudes da mulher na crise dos 40 anos

Crise dos 40 anos na mulher

 

Quando a crise dos 40 anos chega, cada mulher se depara com suas próprias fraquezas. Nessa fase, não é mais possível ignorar nenhuma delas.

No entanto, percebo no meu consultório, que algumas não conseguem lidar com suas necessidades existenciais. Nesse momento, elas tem dificuldade de olhar para a realidade, a dor de fazer isso não é suportada. Algumas procuram se esquivar, com intuito de manter o equilíbrio. 

Nesse ponto, a mulher enfrentará uma grande batalha, onde ela não poderá deixar que a crise da meia-idade a desoriente. Mas que consiga crescer com essa nova experiência.

Ela terá que lidar com o medo e com a insegurança. Também precisará entender melhor as sensações, as emoções e os sentimentos que estão dentro dela, para que assim consiga agir de modo próspero.

Sentimentos reveladores

Na crise dos 40 anos, a mulher tem a sensação de que ainda não fez muito do que desejava ter feito.

​Ela se dá conta que muito do que realizou, foi porque recebeu instruções alheias, mas que hoje não condiz com quem se tornou. ​Muitas nesse momento, buscarão estratégias para não pensar sobre o que estão sentindo.

Mergulhada numa tristeza, a mulher declara que não aproveitou a juventude como poderia. ​Solitariamente ela questiona: “Quem sou eu?”, “O que quero daqui para frente?”, "Como faço para viver diferente?"

 

É extremamente importante para resolver a crise ir até suas profundezas. Mas algumas se distanciam desse lugar, porque é possível se deparar com o conflito. ​

O conflito ocorre quando a mulher sabe o que precisa fazer, mas fica entre a insegurança e o medo do resultado.

Seletividade para com as amizades 

 

Se por inocência essa mulher sofreu, cultivando falsas amizades. Nessa fase, ela vai reavaliar as pessoas que estão em seu caminho.

Como ela só quer viver feliz, não há mais espaço, para aceitar a companhia de pessoas em que não confia.

 

Pois, não deseja mais gastar seu tempo com falsas amizades. Em vez disso, ela quer aproveitar melhor seu tempo, compartilhando ao lado de pessoas verdadeiras.

A mulher geralmente passa boa parte da sua vida, tendo que tolerar muita gente que não gosta. Mas na crise da meia-idade, ela tende a mudar sua visão perante as coisas.

A reviravolta dos sentimentos que ela vivencia dentro de si, tende a transformá-la numa pessoa mais exigente e autêntica. Por essa razão, muitas pessoas vão embora da vida dela nessa fase. 

Mais atitude no dia a dia

 

Com essa crise, a mulher costuma ter mais atitude, principalmente quando alguém a fere.

 

O comportamento submisso de algumas mulheres, faz permanecer durante muito tempo pessoas ruins na vida dela. Nessa fase, as coisas tendem a mudar. Os verdadeiros amigos ficarão na sua vida e a aceitará, mesmo observando que ela mudou. 

Agora mais madura, ela percebe que não há nada de errado, sair por aí se amando. Aquilo que os outros vão pensar, para a mulher loba é o que menos importa. 

Muitos olharão para ela e dirão: "Como você mudou", "Como você está diferente", "Você não era assim". Porém, muitas dessas mulheres de 40 anos, estão envolvidas de poder e autoestima.

   

Relacionamento amoroso na crise da meia idade

 

Mudança de postura da nova mulher

Como sabemos, a mulher passa a vida inteira vivendo para a família, para o trabalho, para a sociedade.

 

Numa parte do tempo, algumas se esquecem delas mesmas, até que algo surpreendente acontece: é a chegada da crise da meia-idade.

 

A crise oferece a possibilidade da mulher repensar sobre as próprias atitudes que sempre teve. 

A crise pode afetar o relacionamento amoroso   

 

É comum na idade da loba, o casamento entrar em crise, principalmente se ela casou jovem.

Algumas mulheres querem viver uma paixão. Algumas desejam ser importantes para um homem, elas querem ser amadas. Em certas ocasiões, a mulher vem alertando o marido sobre isso, mas ele não se dá conta.

 

Muitas vezes, o homem acredita que seu relacionamento vai durar sempre, então ele confia muito na mulher, porém, poderá se surpreender.

"Onde o amor impera, não há desejo de poder; e onde o poder predomina, há falta de amor. Um é a sombra do outro."

Carl G. Jung

A mulher geralmente reclama que quer mais atenção, passear, conversar, carinho. Às vezes, o homem acha que é apenas mais uma reclamação. Porém, se na crise da meia-idade, ela tomar a decisão de ir embora, fica difícil a reversão - mas não é impossível. 

Após muitos anos de casamento, tanto o homem quanto a mulher, podem se acostumar um com o outro. Por isso, é importante sempre  cativar essa pessoa tão querida que você escolheu para amar. 

A crise pode fazer com que algumas mulheres tenham o desejo de mostrar para si mesmas: que ainda têm o poder da sedução. Pois, os papéis que ocupou até agora (mãe/esposa/profissional) não a satisfaz tanto.​

 

É no momento da crise, que algumas mulheres procuram "fora", o que não encontram no parceiro. Mas não será isso que ajudará a sair da crise, mas sim a sua consciência plena.

Crise dos 40 anos na mulher

Carreira profissional na crise da meia-idade

 

​Realização Profissional

 

Aquelas que possuem uma carreira desenvolvida, que conseguiram cumprir objetivos profissionais a qual se propuseram, durante a crise dos 40 anos, poderão também ter uma sensação de vazio interior, e, o desejo de mudança, mesmo que estando no auge da carreira. Entretanto, nem todas sentirão isso.

Outras que estão no desenvolvimento da carreira, podem ficar impacientes, desejando que as coisas aconteçam logo. Já percebi isso no consultório psicológico.

Também existem mulheres que para fugir da crise, procuram trabalhar com intensidade. Quanto mais mantêm a cabeça ocupada com os deveres, menos sobra tempo para pensar em questões pessoais.​

 

Quando a idade da loba chega, à mulher geralmente não declina no seu papel profissional, mas acrescenta a ele suas prioridades pessoais. As pessoas à sua volta estranharão isso, porque ela estará se importando mais consigo mesma do que com o trabalho.

Crise dos 40 anos na mulher

Os "ganhos" que a mulher tem com a na crise dos 40 anos

 

A sabedoria que lhe traz um diferencial

A crise pode revelar a mulher uma maior percepção, principalmente de como ela mesma costuma agir "sem se dar conta". Ela pode perceber no auge da crise, como suas ações estão condicionadas. E, a partir dessas elaborações: agir de forma mais autêntica e assertiva.

Se ela escutou coisas à seu respeito, por todos esses anos, agora ela questionará a veracidade disso. Mais madura, percebe que as críticas dos outros só são rótulos, que a partir de agora ela escolhe "levar ou não" para os anos seguintes da sua vida. 

Independente das influências e exigências que ela sofreu, nessa fase, ela alcança um poder de escolha bem maior do que antes tinha.

Alegria de ser ela mesma

A mulher na crise da meia-idade passa a querer viver com mais sentido. Para isso, ela analisará o que possível fazer para ser mais feliz.

Agora a mulher loba tem mais consciência do que realmente é importante para ela.

Ela se questiona muito, pois não quer se prender novamente as ilusões. Quer evitar sofrer com as irrealizações. 

A maturidade na mulher, a torna capaz para analisar tudo o que acertou e errou até aqui. E, isso serve para se chegar numa conclusão: de como deseja passar a outra metade da sua vida. 

Quando a mulher consegue ouvir a si mesma, ela passa a sentir menos culpa, e, a ter mais orgulho de quem se tornou.

Fazendo as pazes com o passado

 

Com o tempo, ela compreende que em determinada época, não teve experiência, para escolher aquilo que lhe era melhor.

Geralmente ela olha para o passado e aprende com ele. Pois hoje entende que não é possível mudá-lo. Isso é fenomenal para ela, porque o futuro poderá ficar comprometido se ela ficar na defensiva. 

A crise da meia-idade, em determinado momento, propicia a mulher vivenciar o medo. Principalmente, quando ela acha que não conseguiu se realizar: profissional e pessoal. Por este motivo, a mulher não pode ficar presa no medo e na insegurança, pois precisa ser mais assertiva no presente.

Quando ela chega nessa conclusão, aprende a se desprender do que não tem, para valorizar o que conseguiu. Caso não alcance esse ponto, a sensação de vazio tende a aumentar, podendo resultar numa depressão. 

"Podemos nos redimir, somente até onde conseguimos nos ver ".

Martin Buber

Quando a mulher se livra da culpa de ter vivido conforme o desejo dos outros, ela começa a pensar na vida que deseja ter daquele momento para frente.

 

Ela aprende que muito importa a intensidade dos sentimentos. Porém, sabe que precisa agir para conquistar aquilo que mais quer.

Dicas para sair da crise dos 40 anos

A história de que nada pode fazer à respeito, é totalmente fora de questão aqui, porque você melhora naquilo que pratica, mas não naquilo que evita.

​A crise tem efeito negativo quando a mulher procura evitá-la, por este motivo deve se conscientizar de que:

 

  • Sim - você está mais exigente agora;

  • Sim - você sente a necessidade de mudar algumas coisas;

 

  • Sim - isso vai dar trabalho.

Reavaliar os objetivos é sempre importante, para que a mulher possa encontrar suas prioridades.

Aos 20 anos - você sabe que tem muito para viver. Mas, é aos 40 anos - que você sabe como viver!

"Algumas vezes, as coisas mais lindas são as que vem de forma inesperada e sem merecermos."

Anna Freud

A "crise existencial" é aquilo que acontece, quando não fazemos por nós aquilo que é preciso. A natureza só cumpre o papel dela de eleger "algo", no qual o ser humano vai ter que parar para refletir e se posicionar frente à vida. Por esta razão, algumas mulheres passam pela crise da meia-idade sem sofrer tanto.

"Abrindo os olhos" se descobre algo muito melhor, principalmente sobre si mesmo!

Maria Cristina Santos Araujo
Psicóloga SP - 06/108.975