SÍNDROME DE PETER PAN

O homem real que se acha ideal

"EU"

Uma palavra tão pequena, tão quanto forte!

O que é a síndrome de Peter Pan?

No filme, Peter Pan remete a imagem de um garoto que não quer crescer. Em suas aventuras, junto com os garotos perdidos, capitão Gancho, Sininho e Wendy, ele desperta o entusiasmo e alegria de ser jovem.

 

Assim como o personagem, algumas pessoas se comportam de forma inconsciente, cuja atitude é de imaturidade. Entretanto, a síndrome de Peter Pan também pode acontecer com as mulheres. O fato de ser mencionado o gênero masculino em todo o artigo, se torna um referencial para o personagem mais importante da história aqui abordada.

 

A síndrome de Peter Pan não está descrita no manual de diagnóstico estatístico de transtornos mentais (DSM). Porém, o conjunto de características presentes na pessoa, chamam atenção para um funcionamento de personalidade com algumas nuances, assim como suas eventuais consequências.

A síndrome de Peter Pan não é uma doença (embora alguns cometam o suicídio), porém, pode proporcionar sofrimento.

 

O que faz a síndrome ser considerada um problema, é quando provoca desequilíbrio de forma geral, e impacta em áreas importantes da vida do sujeito. Aqui serão apresentados comportamentos bem comuns. Embora, eu costumo dizer que o ser humano é vasto em possibilidades.

 

Dan Kiley (psicólogo) pesquisou primeiramente e catalogou a síndrome de Peter Pan, mas aqui o assunto será abordado com o referencial teórico da Gestalt-terapia, abordagem que eu sigo no consultório psicológico.  

 

Como nos relacionamos com o mundo?

 

Viver é estar em contato. Fazemos contato com o outro, com os objetos, com o ambiente e com nós mesmos.

 

Através do bom contato, é possível viver mais eficientemente. Pois,  facilita na manutenção de um funcionamento saudável da personalidade.

PESSOAS DIFÍCEIS DE LIDAR

Aprenda a lidar com elas...

CRISE DOS 40 ANOS

 

 Informações apenas para os homens

TRANSTORNO DA ANSIEDADE 

As versões diferentes...

Estar em equilíbrio, sugere que assumamos eficácia quanto as necessidades do nosso organismo e as exigências do meio no qual vivemos.

 

Dentro desse propósito, a situação se complica quando há um conflito entre as necessidades da pessoa versus o ambiente em que ela está.

 

É esperado que haja a possibilidade de escolha e de reflexão em cada momento. Porém, quando existe um padrão contínuo de comportamento que não é flexível e assertivo, o sujeito estabelece um contato ou uma fuga com o ambiente - que lhe proporciona prejuízos.

 

Sem perceber, na síndrome de Peter Pan, o indivíduo recebe as consequências do que faz, mas, continua com forte tendência a não perceber o impacto de suas escolhas.

Comportamentos mais apresentados

Síndrome de Peter Pan

 

 

Quais são as preocupações na síndrome de Peter Pan?

Geralmente essa pessoa age de forma a manter o controle, pois o intuito é prevenir o surgimento de  surpresas, traições ou fracassos.

A espontaneidade é diminuída, pois a tensão que sente é interna. Essa pessoa pode viver na suspeita de ameaças.

Ele desconfia até dos mais próximos

 

Esse indivíduo também tende a fazer um contato com o mundo de forma diminuída. Deixa de se entregar ao momento presente, para prestar atenção ao mundo a sua volta, ficando apreensivo.


Desta forma, ele tenta até certo ponto deixar as coisas apenas do seu jeito, desconsiderando as necessidades do ambiente e das pessoas. Assim, ele tende a permanecer vigilante frente as suas fronteiras.

Com isso, ele costuma ser exigente e criterioso, com aquilo que permite ou não se aproximar de si mesmo.

Tem dificuldade de se entregar ao outro afetuosamente, pois não quer sofrer a influência desse. Assim, ele mantém as próprias fronteiras cravadas no fechamento, interrompe o contato, se tornando alguém mais isolado. Mesmo estando na presença de pessoas próximas, internamente está presente a possibilidade de ser iludido ou abusado pelo outro.

Tendência ao narcisismo na síndrome de Peter Pan

Além de ter desconfiança dos outros, esse sujeito tem a possibilidade de sentir desprezo por algumas pessoas. Desta forma, ele também tende a se envolver mais superficialmente em suas relações sociais.

 

Suas ações acontecem a fim de fendê-lo, para não precisar lidar com as próprias limitações.

 

Essa pessoa tem construído um "eu idealizado", com isso, ele pode se sentir algumas vezes um pouco acima das outras pessoas. Mas, interiormente pode sofrer também de baixa autoestima.

Sua forma de se comportar, poderá soar como arrogante, mesmo que ele não deseje passar essa imagem. É interpretado como alguém "cheio de si" ou "o dono da razão". 

Síndrome de Peter Pan - Como ele se satisfaz?

"Dar e receber" é algo dificultoso de acontecer. A satisfação e o prazer acontecem por meios próprios. Em seu mundo interno se faz presente a frase: "Eu estou existo - eles não!"

Esse sujeito tende a exigir o seu lugar no centro das coisas. Para isso, ele procura ter um excessivo controle de tudo que pode. É capaz de fazer valer todos as suas vontades, fazendo uso de manipulações ou impondo sua presença.

Essa pessoa costuma impor medo, respeito, intimidação. Ele geralmente anda de queixo erguido. Seu corpo remete a postura de uma águia. "Com foco no objetivo", ele se direciona para conquistar aquilo que deseja.

O preconceito pode aparecer algumas vezes

Essa pessoa pode ter ideias radicais de “melhor e pior”, baseadas em generalizações sobre grupos diversos, podendo envolver fator político, sócio econômico, gênero, raça, etnia, orientação sexual...

Mesmo que não queira ofender, em algum momento pode escorregar algumas palavras, mostrando intolerância com aquilo que não se identifica.

Veja como ele sente sua tristeza

      

Como um "homem/menino", ele tenta disfarçar a tristeza que sente, por meio da encenação de uma inabalável alegria, com risos altos e piadas.

 

Geralmente, tem muitas outras pessoas em sua volta. Sua presença é amistosa e enérgica. As pessoas gostam muito dele.

Possibilidade de se colocar em risco 

Pensando na diversão, essa pessoa dificilmente consegue ficar parada.

Dentro desse quadro, há possibilidade de haver problema com a bebida ou outros elementos nocivos. Quando isso acontece, o indivíduo usa da desculpa de que é apenas para "relaxar". No entanto, ele tenta se aliviar de sensações que o incomodam internamente.

  

O relacionamento amoroso 

Síndrome de Peter Pan

 

 

Síndrome de Peter Pan - Do que essa pessoa tem medo?

O relacionamento amoroso com esse indivíduo pode não ser muito fácil. Pois, poderá ser para ele difícil se entregar totalmente à alguém. Ele cisma que em determinado momento será esquecido, trocado ou traído.

No relacionamento amoroso, ele tende a se sentir melhor sendo indiferente, do que gostando de um parceiro de verdade. 

 

Essa pessoa até pode amar, mas o pouco contato com a emoção não lhe motiva a apresentar um verdadeiro interesse pelo outro. Assim, ele não se envolve totalmente, passando a impressão ao parceiro de que é indiferente ou até mesmo mesquinho.

 

É capaz de ser bem carinhoso num momento, mas em outro, pode-se transformar em alguém totalmente oposto, assim ocorrem conflitos na relação amorosa dele.

Como ele trata o parceiro?

         

Aquele que se envolve com esse perfil, pode-se sentir muito mal com essa forma de relação, achando muitas vezes que é feito "pouco caso" da sua pessoa.

Quando há queixas consecutivas de indiferença, Peter Pan disponibiliza um pouco de atenção ao parceiro. Porém, com os amigos poderá ter uma postura oposta. E, isso fará o parceiro ficar bastante chateado.

      

Exigências de afeto na síndrome de Peter Pan

Esse homem tende a fazer da pessoa que gosta dele, como uma substituta da mãe ou de outra figura de afeto, que para ele foi importante na vida. Faz isso inconsciente, no sentido de construir uma figura que o proteja. Mesmo com tudo isso, ele tem dificuldade para se sentir seguro.

Tende a estipular normas para que essa pessoa amada siga a risca. Deseja também apoio em tudo que faz e diz. Enquanto, pode fazer totalmente o contrário com a pessoa amada.

A pessoa amada pode se sentir submissa na relação com ele. Por outro lado, Peter Pan acredita que essa pessoa vai tolerá-lo para sempre. Alguém assim, tem possibilidade de sofrer muito, porque um relacionamento pautado nessa estrutura dificilmente vai para frente.  

O que é a síndrome de Peter Pan?

Ele pode receber "demais" e faz de "menos"

Esse perfil costuma doar menos e receber mais. Quando faz algo em prol da relação ou do parceiro, tende a valorizar excessivamente seu ato.

Quando a outra pessoa se cansa disso, Peter Pan acha que não está sendo valorizado.

 

A falta de reciprocidade também é expressa nas relações sexuais. Pois costuma não considerar as necessidades da outra pessoa, enquanto só pensa em si. Também costuma ser rápido e previsível.

 

O parceiro da relação amorosa, acaba por se culpar, acreditando que está em si próprio o problema da relação.

Pouca sensibilidade na síndrome de Peter Pan

 

Peter Pan aprecia festas, é sempre o último a sair, pois quer aproveitar tudo.

 

Afirma que é fiel, mas nos lugares em que vai, costuma flertar com outras pessoas, inclusive na frente do seu parceiro. Isso não significa que vai traí-lo, embora a sedução faça parte do seu jogo. Porém, ele não aceita que seu parceiro  faça o mesmo.

Ainda que tenha um bom coração, esta pessoa pode em alguns momentos não se atentar aos sentimentos do parceiro. Falando coisas que magoam, por exemplo, mostrando desejo por outras pessoas, sendo que o relacionamento dele, não dá suporte para esse tipo de acontecimento. Sem ter a intenção de magoar, ele poderá passar a imagem de que o parceiro não é importante.

Muitas vezes, é o parceiro que o sinaliza de seus problemas. Essa iniciativa poderá ajudá-lo, pois geralmente ele não percebe o que está fazendo, também não entende porque tantas reclamações existem contra ele.

Estilos de pessoas que sentem atração por Peter Pan

 

 

Que perfil de parceiro pode se dar bem com Peter Pan?

      

Uma pessoa que procura manter o relacionamento com Peter Pan, é aquela que oferece apoio e proteção. Ao mesmo tempo em que ela mesma também é dependente dele, podendo sofrer de baixa autoestima.  Nesta relação Peter Pan se satisfaz, porque ele sente que está protegendo alguém mais frágil.

 

Contudo, a relação afetiva com um parceiro que tem mais autonomia pode o assustar. E, ele tende a rebaixar o parceiro ao máximo que puder.

       

​​Wendy e Sininho são personagens que dentro do filme disputavam o amor de Peter Pan. E, aqui na nossa história da vida real - cada uma continua com seu papel. 

Estilo "Sininho"

A Sininho da história é mágica, envolvida por energia, muito solidária. Ela está disposta a ajudar Peter Pan.

 

Levando o assunto para a realidade, a Sininho representa aquela mulher que tem autoestima, cheia de vida própria, sendo um perfil oposto a Wendy.

 

Quando a mulher de autoestima sente interesse por Peter Pan, é muitas vezes atraída pela espontaneidade e atitudes descompromissadas que ele tem, que chamam sua atenção. Porém, Sininho exigirá que ele cresça.

A Sininho não aceita ser tratada com indiferença e, exige a mudança. Contudo, se Peter Pan não mudar, ela o deixa.

O homem consciente é mais inteiro em suas relações com o outro, com ele mesmo e com o ambiente. Mas para isso, tem que estar disposto a abandonar o mundo próprio, onde só há espaço para ele viver em sua solidão.

Estilo "Wendy"

      

Esse estilo representa aquelas pessoas com características de submissão. Principalmente aquela que não faz questão de ter opinião própria, com tendência a se comportar como a mãe protetora do parceiro. São elas que procuram (inconscientes) pelo estilo de parceiro Peter Pan.

 

Pessoas inseguras também tendem a procurar um parceiro, que a faça se sentir indispensável na vida dele.

 

O estilo Wendy acredita que o comportamento do parceiro é comum, não acha nada de errado nisso. Entretanto, sonha um dia que a situação mude, enquanto vai se conformando com o que tem.

 

A mulher Wendy aceita permanecer na relação com Peter Pan, sem incentivá-lo a perceber-se. 

A mulher Wendy tende a agradar mais do que a mulher Sininho. O comportamento dela acaba por reforçar o comportamento dele.

Devido ser uma pessoa madura, é no perfil de mulher "Sininho" que Peter Pan encontrará o apoio para sair da "Terra do Nunca", e experienciar uma vida com mais contato, sensibilidade e amor.

Toda mulher Wendy pode se tornar Sininho?

Toda mulher Wendy é capaz de se tornar Sininho, e direcionar suas energias a algo mais valioso.

 

A mulher que deseja parar de ser Wendy precisa encontrar o que lhe falta. Olhar profundamente os próprios conflitos. Deixando também de projetar no parceiro amoroso, aquilo que precisa desenvolver nela mesma. A partir do momento em que ela se reorganizar internamente, estará mais preparada para ajudar o parceiro.  

Se a mulher se percebe na vida como a Wendy do filme, seria interessante se ela pudesse observar quais são as características de Wendy presentes nela, procurando se transformar.

No consultório de psicologia já atendi pessoas maravilhosas, mas com postura de Wendy - sofrendo muito. 

Porém, há Peter Pan que quer permanecer na "Terra do Nunca", e não deseja ter uma parceira Sininho ao lado - o forçando a crescer. Ao se transformar em Sininho, a mulher Wendy deverá ter a consciência de que poderá perdê-lo.

 

Se a mulher Wendy fingir ser uma Sininho, e ameaçar acabar com o relacionamento, porém se não o fizer, ele não a respeitará. 

Mas, não há problema algum se a mulher quiser permanecer Wendy. Porém, é importante que saiba que no relacionamento sempre terá o papel atual, e o parceiro provavelmente também não mudará.

O sofrimento escondido atrás de um sorriso

Síndrome de Peter Pan

Relações sociais difíceis na síndrome de Peter Pan

Mesmo que o sorriso não saia dos seus lábios, Peter Pan sofre, mas calado.

 

Em sua volta, ele observa casais felizes. E, quando olha para sua vida, muitas vezes percebe que ele próprio não consegue manter algo duradouro. Também, não entende porque no final as coisas não dão certo.

 

Se ele tem um relacionamento duradouro, também não compreende a razão de tanta discussão ocorrer. Provavelmente procurará as respostas no parceiro, e não as verdadeiras razões em seu comportamento.

 

A forma dele se comportar, pode afastar as pessoas que lhe são mais próximas. Pois, costumamente elas acabam ficando chateadas com a sua imaturidade.

Dificuldade para se responsabilizar na síndrome de Peter Pan

     

Essa pessoa tem dificuldade para se ver de verdade, e assim dificulta sua própria mudança. 

Se não há questionamento, não se aprende com as falhas. Também não há remorso e preocupação com aquilo que provoca no outro.

 

Com isso, o comportamento autocentrado se repete, até as pessoas se afastarem dele, e isso o faz sofrer.

O afastamento das pessoas na síndrome de Peter Pan

As pessoas apreciam ficar ao lado de outras que reforçam o seu valor. Porém, Peter Pan tende a não aceitar ser contrariado. Ele também, procura falar tudo o que pensa, deixando de perceber que está magoando o parceiro afetivo.

 

Em sua busca de perfeição (devido a insegurança que sente), ele pode se tornar muito crítico e reclamão. 

Embora se ache muito generoso e que todos se aproveitam disso, é ele que se comporta como se estivesse sozinho no mundo. Também não expressa os sentimentos com facilidade.

O comportamento que ele tem com o outro, se volta para com ele mesmo. Sendo assim, acaba por sofrer com o desprezo das pessoas.

"Não podemos exigir que os outros sejam conforme queremos, pois nem nós somos."

Lao-Tsé

Indignação com aquilo que recebe do mundo

Peter Pan pode ficar furioso quando com raiva. Porém, num momento seguinte pode esquecer tudo que fez, mas o outro que foi ofendido muitas vezes não esquece.
 

Ele aprecia realizar atividades que é do seu interesse. Seria interessante que dialogasse com as pessoas sobre isso, para não entrar em conflito.

 

Também costuma se esquecer de datas importantes como aniversários. Procurar um presente para alguém, lhe pode ser cansativo.

Quando ele pede ajuda, gosta de ser atendido prontamente, mas também costuma ser ágil para ajudar o próximo. Seria muito bom se ele conseguisse manter alianças profundas de amizade e carinho.

Vivendo mais feliz

Síndrome de Peter Pan

 

 

Sempre é possível mudar

Peter Pan é muito alegre, inteligente e articulado. As pessoas gostam de ficar perto dele, entretanto em algum momento elas podem ficar chateadas com alguma coisa. Mas é o amor dos mais próximos que o ajudará a perceber aquilo que é importante mudar.

Essas pessoas podem ser muito solitárias. Após alguns anos, podem se tornar também amarguradas, alcançando quadros de depressão. Quando Peter Pan chega ao consultório de psicologia, se apresenta com muita defesa. 

Quando a própria pessoa se interessa em ampliar o repertório interno para o social, ela percebe que não precisa estar certa a todo o custo. Pois, aprende a colocar suas ideias para "complementar" e não para "ter a razão" sempre.

Quando ela se sensibiliza mais com o ambiente, tendo mais empatia, a relação social se torna mais satisfatória. Por exemplo, ela deixa de rir das pessoas para rir com elas.
 

Essa pessoa "puxa o próprio tapete" o tempo todo. Mas, é quando desenvolve o autoconhecimento e a sensibilidade, é que consegue sentir prazer no mundo, criando uma atmosfera diferente, com vínculos fortes e repletos de afetividade.

"Abrindo os olhos" se vive melhor e o mundo retorna aquilo que você investe!

Maria Cristina Santos Araujo
Psicóloga em São Paulo - 06/108.975