RELACIONAMENTO ABUSIVO

No trabalho

 

Como identificar o abuso nas relações de trabalho?

 

Sabe aquela situação em que você se sente constrangido toda hora? Mas que você deixa passar, porque não quer levantar discussão por algum motivo? Pois, é, você pode estar sendo vítima de abuso no trabalho.

 
A relação abusiva no trabalho ocorre quando você não tem controle mais das coisas, ficando totalmente subordinado à vontade alheia. Principalmente, quando se sente diminuído praticamente todos os dias.

Alguns cuidados necessários que você precisa ter para não viver um relacionamento abusivo no trabalho

Quando perceber o ambiente de trabalho minando sua autoestima tome cuidado! 

 

Se você é aquele profissional que exerce um bom trabalho, que está sempre procurando fazer mais, entretanto se sente incompreendido, nunca consegue agradar, ficando sobrecarregado, preste muita atenção.

Ainda que você seja uma pessoa de bem com vida, cheia de experiência positiva, com autoestima, que sabe se relacionar bem, mesmo assim, pode vivenciar uma relação abusiva.

 

A imposição é tão perversa e, exerce uma força tão grande, que pode afetar intimamente, até mesmo alguém que não está numa situação vulnerável.

Fazer uso de manipulações para se ter benefícios sobre outra pessoa, faz parte do ser humano, porém a intensidade e a repetição é o que caracteriza a relação de abuso.

O que pode contribuir para o abuso no trabalho acontecer?

TRANSTORNO DA ANSIEDADE GENERALIZADA 

Conceitos - TAG

SÍNDROME DE BURNOUT 

A síndrome do esgotamento no trabalho

TRANSTORNO DEPRESSIVO MAIOR

 

 Sintomas, tratamento e dicas importantes para lidar com isso...

A escassez de trabalho, a necessidade financeira, a personalidade, o meio social, as expectativas do profissional - podem propiciar a entrada de situações maléficas na vida dele.

 

Quem já passou por humilhações, principalmente no trabalho, jamais esquece, pois é uma coisa que marca de verdade. Infelizmente não é difícil conhecermos alguém que se afastou do trabalho por motivo de saúde. 

O abuso no trabalho vai acontecendo aos poucos, até o profissional não aguentar mais. Dentro dessas condições, qualquer pessoa poderá passar por isso.

Quem é o manipulador?

Qualquer funcionário pode se usar da manipulação para tirar proveito de um outro. Considerando que a relação de abuso transita no campo do desrespeito.

 

Apesar de ser bem comum o abuso partir de colegas de trabalho, o chefe é aquele que assume muitas vezes o papel de manipulador. Dada a posição hierárquica que possui, a relação de poder toma a frente.

Situações comuns de abuso no trabalho

 

 

  • Uso de linguagem inapropriada para se referir a alguém ou ao seu trabalho, colocando o profissional em situação de humilhação na frente dos outros ou mesmo sozinho;​ 

 

  • Tratar com preconceito o profissional, não observando com propriedade a execução de suas tarefas;

  • Obrigá-lo a ficar além do horário constantemente, não questionando quanto a sua disponibilidade, também não fazendo o devido pagamento de horas extras;

 

  • Exigir que o profissional trabalhe ou responda suas mensagens na hora de descanso dele, inclusive interrompendo suas férias;

  • Explorá-lo em todos os sentidos;

  • Fazer referências maldosas de forma geral;

  • Tratá-lo com desrespeito e de forma desumana, privando-o de suas necessidades básicas;

  • Estipular um volume imenso de trabalho, sem que haja condições para isso;

  • Não providenciar equipamento e ambiente adequado para o trabalho;

 

  • Não pagá-lo adequadamente, fazendo exploração de seu serviço...

Se não é mais possível persistir; viável é sair.

Maria Cristina S. Araujo

Essas são as queixas que mais escuto no consultório de psicologia. Porém, essa lista pode ser ainda maior, dada as condições que os profissionais hoje são expostos.

 

Veja o que acontece ao estagiário - relacionamento abusivo no trabalho

O estagiário às vezes é aquele colaborador que todos riem, pegam no pé, fazem piada: "Só podia ser o estagiário mesmo".

 

Infelizmente, muitos lugares veem o estagiário como uma figura caricaturada. E, esquecem que ali está um jovem que precisa ser treinado e tratado com decência. Aliás, todos algum dia, começaram pela primeira vez. Não é mesmo?

Muitas vezes, o estagiário se percebe pouco valorizado, ficando deslocado.

 

Querendo fazer parte do ambiente de trabalho, ele pode assumir um papel que lhe é automaticamente dado: desajeitado, estranho, sem inteligência, que só faz perguntas tolas.

 

É possível observar o estagiário escondendo o grande potencial e criatividade que possui, porque ele não é acolhido, desconfiam dele.

 

Existe estagiário que para sobreviver no ambiente corporativo esconde sua capacidade, porque se for descoberto poderá ser julgado como "concorrente" pelos mais experientes, e então sua vida pode se tornar mais difícil ainda.

O abuso no trabalho pode ser bem sutil

que você não percebe que está sofrendo

Conheça as manipulações - para não cair na armadilha do abuso no trabalho

 

O abuso no trabalho pode aparecer de forma bem mascarada, em que o profissional não percebe que está sendo manipulado.

 

O profissional que é manipulado intimamente sente um incômodo, mas dependendo da forma que ocorre, ele não faz a referência necessária para encarar o fato.

 

A manipulação geralmente acontece em situações em que o profissional é conduzido a agir sem vontade própria.

Exemplo de manipulações no trabalho que você não percebe

Muitas vezes, a manipulação aparece em forma de elogio ou reconhecimento do próprio valor, mexendo com o ego do profissional:

 

  • "Só você consegue fazer isso tão bem."

  • "Eu não sobrevivo nesse trabalho sem você."

 

  • "Ninguém aqui pode resolver isso."

Entretanto, as frases supracitadas vem com pedidos absurdos que ferem o profissional, exploram e tiram  vantagens exclusivas. Quando isso acontece, geralmente é o profissional que perde.

Já observei os profissionais mais inteligentes e competentes sendo obrigados a viver de forma alienada. Eles perdem o contato com a família, com os amigos, com os filhos, sendo conduzidos a trabalhar horas de graça.

Qual é o futuro do profissional que sofre abuso no trabalho?

Esses profissionais ficam totalmente exaustos, também carregam as queixas familiares sobre suas ausências.

 

Muitos deixam de viajar nas férias para ficar trabalhando. Assinam o documento, mas são totalmente privados das férias. Faltam em casamentos, aniversários e outras datas importantes de amigos,  familiares e até dos filhos. Eles ficam sem vida própria.

Se o profissional reagir a situação de abuso no trabalho - veja aqui o que pode acontecer

Quando esse profissional já está muito cansado, e vendo sua vida pessoal se esvaziar, é então que ele resolve falar "não" pela primeira vez, momento em sofre muita represaria. 

O manipulador  não aceita quando isso acontece, costuma questionar como se fosse o dono da vida daquele profissional. Novamente surgem as manipulações:

 

  • Mas o que aconteceu para você estar agindo assim?

 

  •  O que eu te fiz?

 

  • Então, você vai me deixar na mão?

Percebe como essas perguntas são constrangedoras? E, coloca o funcionário na parede, fazendo-o se sentir culpado. O intuito, é que ele volte atrás para continuar sendo explorado.

 

Assim, o profissional é conduzido a pensar que está agindo errado, enquanto muitas vezes, ele já está totalmente esgotado e ainda sem saúde.

Se eu fosse uma empregadora, com certeza teria vergonha de fazer um "papelão" desses com um profissional, mas infelizmente essa situação é bastante comum no mercado de trabalho hoje em dia.

 

O abuso no trabalho

pode acontecer de forma bem clara

Gerente de operações fala na entrevista de emprego:

"Nossa rede de supermercado vende mais barato, porque trabalhamos com menos funcionários." 

De: Paulo

Só Freud explica

Psicóloga de uma escola, posta em sua rede social todos os trabalhos elaborados pela equipe pedagógica, como se fosse dela, sem ao menos ter ajudado em coisa alguma. Também não deixa que nenhum colega de trabalho emende nos feriados prolongados, para que consiga viajar em todos eles. Porém, passa a maior parte do dia reclamando da instituição e também das injustiças sociais.

De: Fátima

Diretor de Tecnologia da Informação na entrevista:

"Aqui não tem nenhuma mulher, porque trabalhamos sobre pressão! Não sei porque o RH te mandou aqui."

De: Michele

Uma gerente de compras grita em todo setor: 

"Como você é burra!"

De: Eliana

Gestora com pouca empatia

Funcionária pagou do seu próprio bolso um curso de excel, que era três vezes maior que seu salário. Na hora da saída, em que iria para o curso, a gerente de compras lhe pede para fazer a alteração de preços de "seiscentos produtos", para entrar em vigor no dia seguinte.

De: Maria

Colega de trabalho abusador

Profissional especialista passa a maior parte do dia olhando sua rede social. Em dado momento ele fala para o assistente que estava ao lado mexendo com muitas notas fiscais: "Vai comprar meu café porque você não faz nada!"

De: Nilson

Não ache normal sofrer abuso no trabalho

 

O abuso rotineiro pode fazer o profissional achar que tudo aquilo é normal. Contudo, ele também não espera nada diferente, daquilo que vivencia todos os dias em sua rotina.

 

Eu presenciei na minha vida pessoal, uma mulher vivendo uma relação abusiva com a empresa - cerca de 20 anos. Inclusive, ela também colocou a própria filha para trabalhar no local. A jovem adoeceu, após ter vivenciado constante assédio, mas a mãe continuou, mesmo com tantas mágoas. E, a questão não era financeira para ela continuar naquele trabalho. Com o tempo, essa profissional também começou a assediar outros funcionários, com o cargo abaixo do dela.

No exemplo acima, o profissional que era abusado no trabalho, também se tornou um abusador. Esta é outra coisa que pode acontecer. Portanto, o relacionamento abusivo tem essa característica: você pode ficar no círculo vicioso, sem conseguir sair e também sem se dar conta.

 

Por esta razão, não se acostume com a angústia. Caso perceba sendo tratado com injustiça, onde está minando sua saúde, analise a saída disto. 

Como evitar ser vítima outra vez de abuso no trabalho

Característica do profissional que pode favorecer o abuso no trabalho

 

Um indivíduo com sensibilidade para crítica tem grande chance de sofrer uma relação abusiva, caso encontre com um manipulador em seu caminho.

 

Profissionais que são mais quietos, que não falam, são os que geralmente não impõem limites. Também aqueles que gostam de mostrar trabalho, que são perfeccionistas ou receosos.

Dicas para não ser abusado no trabalho

É sempre importante que o profissional tenha autoconhecimento, reconhecendo suas conquistas, o seu potencial. Assim, ficará mais forte para mostrar que é melhor para a empresa não perdê-lo, devendo respeitá-lo. O respeito mútuo é uma via de mão dupla, que é ótimo para ambas as partes.

Também é necessário que o colaborador não apresente razões para ser abusado. Chegando no horário, não se sentirá mal por sair no horário. Às vezes, meia hora atrasado de manhã, corresponde a 4 horas à mais do horário, porque ele sente muita culpa com seus atrasos.

 

O ideal é que o profissional procure fazer bem suas tarefas, para também não ficar sendo acusado pela empresa, tendo que pagar a mais por isso.

Como se recuperar após abuso no trabalho?

Toda pessoa que sofre um relacionamento abusivo, pode refletir se realmente ela corresponde aquela imagem tortuosa, que o manipulador tenta passar sobre ela.

 

É importante que o abusador veja que aquele profissional tem seus limites. Mas, isso dependerá do profissional ter uma atitude que demonstre "limites".

Acontece que mesmo o mais excelente dos profissionais e experiente não está livre de passar por isso. 

 

O abuso no trabalho faz com que o profissional esqueça sua identidade, se afaste da sua história, das conquistas que já teve, podendo se achar como alguém sem capacidade.

 

O abuso no trabalho faz qualquer pessoa se sentir errada, fraca e incompetente. Sua elaboração cognitiva deixa de acontecer, e ela passa a acreditar naquilo que está sendo dito sobre ela. 

"Não espere ficar doente para olhar a real situação."

Maria Cristina S. Araujo

Por mais que você precise de um trabalho, não é ele que vai definir quem é você, saiba disso!

"Abrindo os olhos" aceitamos que às vezes não podemos evitar as injustiças. Porém, o direito de contestar sempre existe!

Maria Cristina Santos Araujo
Psicólogo em São Paulo06/108.975