SÍNDROME DE BURNOUT 

Síndrome do esgotamento profissional

"Quanto mais a sociedade exige que o indivíduo corresponda aos seus conceitos e ideias, menos eficientemente ele consegue funcionar."

 

Frederick Perls

 

 

O que é a síndrome de Burnout?

A síndrome de Burnout corresponde a um esgotamento mental e físico, voltado ao mundo do trabalho. Em sua precariedade se faz presente por meio de sintomas. 

 

É uma síndrome que em seu estado avançado pode prejudicar a saúde, inclusive conduzir o indivíduo ao suicídio.

Algumas empresas hoje esperam a dedicação e a competência dos colaboradores em tempo integral, principalmente daqueles que estão em cargos de gestão. No entanto, outras apenas exigem que o bom trabalho seja realizado, com qualidade, ética e dentro do prazo. 

Dentro deste universo, existem os colaboradores que de alguma forma passam a viver mediante apenas ao trabalho, mas adoecem, chegando ao quadro da síndrome de Burnout.

Veja essas perguntas:

 

  • Você trabalha horas a mais, faz as refeições bem rápido, está levando tarefas para casa?

 

  • Sente-se injustiçado, não valorizado e com cansaço emocional?

  • Parece que o prazer pelo trabalho foi embora sem ao menos despedir-se de você?

Se disse sim para ao menos uma dessas perguntas leia esse artigo até o final. Mesmo que você não esteja passando por isso, mas talvez conheça alguém que esteja.

Síndrome de Burnout - autoestima e o trabalho

O passo a passo que resulta em na síndrome de Burnout pode ser vagaroso, ou seja, não é percebido. ​Atualmente, o número de pessoas que procuram atendimento médico e psicológico com características dessa síndrome é grande.

 

AUTOESTIMA

Veja como você desenvolve sua autoestima. Dicas importantes...

APRENDA A DIZER NÃO PARA AS PESSOAS

Vença esse problema...

MEDO OU FOBIA?

 

Conheça as diferenças

Muitas dessas pessoas têm propensão para se identificar demais ao trabalho, esquecendo a própria vida.  

Quando eu percebo as pessoas indo para esse caminho, já costumo dar o sinal de alerta e conscientizá-los.

Sintomas da Síndrome de Burnout

 

 

Sintomas físicos: dor de cabeça, insônia, falta de ar, tontura, tremor, dores musculares, problemas digestivos...             

 

Sintomas psicológicos: depressão, transtorno de ansiedade...

Comportamentos: agressividade, isolamento...

Os sintomas podem ser os mais variados, no entanto, eles acontecem após um período de grande desgaste no trabalho. 

 

A Síndrome de Burnout

é comum a que tipos de profissionais?

 

Setores mais afetados pela síndrome de Burnout

 

  • Aqueles principalmente que lidam com público: área da educação, da saúde...

 

  • Profissionais que sofrem muita pressão: vendas, marketing, artistas, operadores de telemarketing...

 

  • Áreas que exigem muita atenção e ação: engenharia, controladores de tráfego aéreo, policiais...

 

 

Aspectos que facilitam o aparecimento da síndrome de Burnout

  • Personalidade;

 

  • Ambiente de trabalho;

  • Problemas pessoais mal resolvidos;

  • Possibilidade de estar passando por outros problemas psicológicos;

  • Rede de apoio enfraquecida;

 

  • Salário...

     

Veja como o profissional chega na Síndrome de Burnout

 

12  Passos para o adoecimento - na síndrome de Burnout

01 -  No começo, o profissional sente uma grande motivação, e acaba atribuindo um valor tão alto ao trabalho que é maior que a sua vida;

02 -  Relaciona o conceito que tem de si mesmo com o desempenho profissional. Momento no qual, surge o desejo de ser o melhor da área e de fazer tudo sozinho (acha que seu desempenho é melhor que dos outros); 

03 -  Dedica-se muito, a ponto de desconsiderar suas necessidades básicas: almoçar; dormir; ir ao banheiro; tomar água; descansar; esquece da sua vida pessoal e se isola. Nesta fase ele também agrega muitas tarefas, ou se torna um alvo fácil para depositarem nele muitas atividades. O trabalho se torna ele;

04 -  O profissional percebe os problemas crescendo, e fica aflito por não conseguir resolver todos, mas acredita que se houver mais esforço certamente conseguirá. Nesse momento, ele nega a existência do problema; 

05 -  Nessa fase o profissional percebe que não está conseguindo ser quem "ele gostaria". Se cobra muito, principalmente porque está difícil fazer tudo sozinho. Aqui ele começa a tomar consciência de seu real estado;

06 -  Os sintomas do esgotamento físico e mental começam a se intensificar;

07 -  O profissional se sente fraco, incapaz e com baixa autoestima. Começa a evitar o contato com as pessoas e com os canais de comunicação da empresa (e-mail, mensagens, telefonemas). Também se esquiva de reuniões, se tornando mais recluso;

08 -  Ocorre aqui a despersonalização: um quadro onde o sujeito sente que não é ele mesmo, em alguns momentos tem a sensação de que está fora do corpo;

09 -  O profissional fica sensibilizado às críticas dos outros, sugestões e  brincadeiras de modo geral. Ele responde a tudo sem ser assertivo. Podendo nessa fase, se envolver em conflitos com colegas de trabalho;

10 -  Nesse estágio o sujeito já está se sentindo muito mal, e questionando a razão da própria existência. Muito entristecido, ele acredita que não adianta fazer mais nada, porque a vida não faz sentido;

11 -  Mente e corpo adoecido -> síndrome de Burnout instalada.

12 -  Risco à vida - a pessoa precisa buscar ajuda médica e psicológica, às vezes, também jurídica por conta da necessidade de afastamento do trabalho ou relação abusiva.

É possível alcançar a síndrome de Burnout sem perceber? 

Mesmo um profissional mais experiente pode chegar ao quadro de síndrome de Burnout achando que está fazendo tudo certo.

Como podemos observar: o início é marcado pelo desejo de realização profissional, em um segundo momento o profissional deixa de fazer as coisas básicas para a própria sobrevivência, até se despersonalizar - ficando doente.

Com a síndrome de Burnout instalada, o indivíduo já está tão exausto que seu rendimento não é mais o mesmo. Ele percebe que todo o seu esforço não é visto e nem valorizado pelos superiores, correndo o risco de perder o emprego, por exemplo.

Depois que se instala a síndrome de Burnout, para o profissional manter o equilíbrio na vida e o rendimento no trabalho é muito difícil, não é raro ele precisar se afastar por ordem médica.

Tratamento para Síndrome de Burnout

Muitas vezes, a síndrome de Burnout é tratada com psicoterapia. A entrada do medicamento acontece devido a presença de transtornos psicológicos como depressão, ansiedade, transtorno de pânico...

Por outro lado, o profissional também pode procurar ajudar a si mesmo mudando sua maneira de viver:

 

  • Agregando um estilo de vida mais saudável;

 

  • Ao praticar atividades físicas;

 

  • Descansar no momento apropriado;

 

  • Procurar fazer coisas que geram satisfação;

 

  • Ter uma boa alimentação;

 

  • Procurar fazer prevalecer à qualidade de vida e do bom humor;

  • Desenvolver relacionamentos com pessoas positivas;

  • Respeitar os horários de fazer as coisas, tanto no que se refere ao trabalho quanto a necessidades básicas;

  • Procurar um bom médico para fazer exames de rotina.

 

Toda vez que digo NÃO para a vida, eu contrario o meu destino.

Nessa teimosia, é que quase certo que irei lamentar o que não fiz.

E é aí que a gente aprende que a vida não precisa ser compreendida: só vivida!

Mell Barcellos

​Percebo muito as pessoas querendo ser um profissional de sucesso, ganhar respeito, reconhecimento.

Como psicoterapeuta acredito que não é ruim pensar na carreira e investir no trabalho, mas tudo tem um limite. 

Os sintomas que são comuns nas patologias, nas síndromes e nos transtornos, nos mostra que a natureza simplesmente faz o seu papel: de apresentar o desequilíbrio do corpo e da mente.

A síndrome de Burnout mostra que o ambiente é capaz de retribuir à pessoa aquilo que ela mesma deu para si. Desta forma, é importante se cuidar sempre! 

Além de procurar um profissional para buscar ajuda, trabalhar com a prevenção é um ótimo caminho. Assim, também é importante conversar com pessoas experientes, de mente aberta. Pois, elas podem te ajudar a ver as coisas por outra ótica, lhe dando um alerta. Porque às vezes não percebemos a forma que estamos.

"Abrindo os olhos" você compreende que a felicidade é a responsabilidade de procurar viver bem!

Maria Cristina Santos Araujo
Psicóloga SP - 06/108.975