DEPRESSÃO

Como vencer?

 

O que é a depressão?

A depressão trata-se de um distúrbio afetivo que causa alguns sintomas, entre os mais conhecidos estão: tristeza imensa, sensação de vazio, perda de prazer, alteração no apetite e sono, mudança de humor.

 

Os sintomas impactam negativamente a funcionalidade do indivíduo.

 

É possível alguém ter depressão e não saber?

Existem pessoas que resistem em admitir que sofrem do quadro de depressão. Algumas ainda mantém o receio do que os outros vão pensar à respeito delas, outras não encontram motivos que justificam a ocorrência dos sintomas. 

 

O fato é que ninguém gostaria de ser diagnosticado com depressão, mas atualmente têm crescido o número de casos, principalmente entre as mulheres.

 

O homem por sua vez, é incentivado culturalmente a ser forte o tempo todo, não olhando para os próprios sentimentos. Muitas vezes, o homem sofre calado, mas quando o sofrimento se torna insustentável é que ele procura ajuda.

LUTO OU DEPRESSÃO?

 

Conheça as diferenças

TRAIÇÃO

 

Aprenda a superar...

SEM DEPRESSÃO

Como sair da crise dos 40 anos?

Está claro que a depressão não se trata apenas de uma tristeza passageira, mas de um problema que precisa ser cuidado.

 

O transtorno depressivo precisa de tratamento, assim como de acompanhamento do médico psiquiatra e de um psicológico.

Tipos de transtorno depressivo

Transtorno depressivo maior

O transtorno depressivo maior se caracteriza por alguns sintomas marcantes na maior parte do dia e quase todos os dias.

 

Alguns sintomas: humor deprimido, dificuldade para raciocinar, hipersonia ou insônia, diminuição do prazer ou interesse em atividades, mudança psicomotora, sentimento de inutilidade, culpa excessiva, dificuldade para se concentrar, pensamentos repetidos de morte, ideação suicida, sensação de falta de energia, perda ou ganho de peso.

 

Os sintomas exercem sofrimento ao indivíduo, com prejuízo no funcionamento quer seja profissional, social, entre outros setores importantes.

Transtorno depressivo persistente - distimia

Está presente um humor deprimido na maior parte do dia, assim como também na maioria dos dias, por pelo menos dois anos em adultos, um ano para crianças e adolescentes.

 

Os sintomas são persistentes, no qual o indivíduo jamais esteve sem eles por mais de dois meses. 

 

Os sintomas incluem: mudança no sono ou apetite, sensação de pouca energia ou fadiga, dificuldade de concentração, baixa autoestima, recusa em tomar decisões, desesperança.

 

O bom da tristeza é que ela não te engana. Não tem falsa tristeza. Já a felicidade, tá cheia de pirataria por aí. 

Mell Barcellos

Transtorno disfórico pré-menstrual

Os sintomas acontecem durante a fase pré-menstrual e diminuem no início da menstruação ou posteriormente. 

Ao menos cinco sintomas devem ser percebidos entre o grupo A e o grupo B: 

  • Grupo A) Tristeza, ansiedade, choro constante, raiva, irritabilidade, nervosismo, desesperança,  sensibilidade quanto a rejeição, pensamentos autodepreciativos, sensação de estar no limite, humor deprimido.

  • Grupo B) Dificuldade na concentração, falta de interesse e prazer em atividades diárias, fadiga, falta de energia acentuada, mudança do apetite, alteração no sono, sensação de estar sobrecarregada ou fora de controle. Alguns sintomas físicos como sensibilidade ou inchaço nas mamas, sensação de inchaço ou ganho de peso, dor nas articulações ou muscular.

Esses sintomas ocorrem na maioria dos ciclos menstruais durante o período de um ano. O prejuízo geralmente é abrangente em áreas importantes na vida. 

Transtorno disruptivo da desregulação do humor

 

Nesse transtorno estão presentes alguns sintomas como explosões de raiva, podendo se apresentar através de agressão verbal ou física, com relação a propriedade ou pessoas. Tais atitudes não são coerentes com a realidade e são desproporcionais com a provocação. O comportamento é inconsciente com o nível de desenvolvimento.

 

As explosões de raiva acontecem no mínimo três vezes por semana.

 

O humor entre as explosões de raiva, segundo o DSM V, é persistente irritável ou zangado em grande parte do dia, seguindo assim quase todos os dias.

Transtorno depressivo induzido por substância ou medicamento

Existência de humor depressivo, redução de vontade ou prazer em atividades.

 

Entretanto, há sinais de que os sintomas ocorrem durante ou após a intoxicação ou abstinência de substância ou medicamento. Sendo assim, o produto consumido é o provocador dos sintomas.

 

Transtorno depressivo devido a outra condição médica

Existência de humor depressivo, redução de vontade ou prazer em atividades.

 

Entretanto, há sinais de que os sintomas têm decorrência fisiopatológico direto de outra condição médica. Porém, não é mais bem explicado por outro transtorno mental.

Outro transtorno depressivo especificado

Os sintomas presentes apontam para um sofrimento significativo de uma pessoa, podendo causar prejuízo no funcionamento em áreas principais da vida dela. Entretanto, os sintomas não satisfazem todos os critérios para qualquer transtorno na classe diagnóstica dos transtornos depressivos.

Porém, existe uma especificação para os sintomas como: depressão breve recorrente, episódio depressivo de curta duração, episódio depressivo com sintomas insuficientes.

“Fácil é saber que está rodeado por pessoas queridas. Difícil é saber que se está se sentindo só no meio delas.”

 

Carlos Drummond de Andrade

Transtorno depressivo não especificado

Os sintomas presentes apontam para um sofrimento significativo de uma pessoa, podendo causar prejuízo no funcionamento em áreas principais da vida dela. Entretanto, os sintomas não satisfazem todos os critérios para qualquer transtorno na classe diagnóstica dos transtornos depressivos.

 

Nesse transtorno não há informações suficientes para fazer o diagnóstico mais específico, por exemplo, conforme ocorre em salas de emergência.

Descubra o que fazer quando alguém próximo

está com algum transtorno depressivo

 

Assim como não se fala para uma pessoa que está com uma fratura na perna para levantar e andar, o mesmo não se diz a alguém com algum transtorno depressivo. 

 

A alteração química que o problema ocasiona, impacta consideravelmente naquilo que o sujeito sente, pensa e age. 

Se você conhece alguém que está com algum transtorno depressivo, procure deixá-lo saber que você se preocupa com ele, faça surpresas, lhe proporcione aquilo que ela gosta.

Evite ser autoritário. Antes de visitá-lo veja se você está bem, porque o contato com essa pessoa, exigirá de você energia.

 

Assim, esteja sempre presente, nem que seja para mandar-lhe mensagens. Tenha paciência, seja generoso, espere, pois uma hora ele vai responder. 

Quando encontrar essa pessoa, fale de coisas boas. Procure relembrá-la de situações engraçadas ou dos feitos positivos que ela corajosamente realizou. Auxilie-a contar com o melhor que ela tem dentro dela.

Estudos mostram que a prática de atividade física aumenta a sensação de bem-estar, e diminui a sensação de fadiga, ou seja, equilibra o que falta e o que excede na depressão. Por isso, incentive essa pessoa a fazer uma caminhada ou alguma outra prática física. Se for necessário, acompanhe ela inicialmente.

Com outros esforços no cotidiano, essa pessoa também pode ir conquistando o lugar em que realmente merece estar. Por essa razão - apoie - procure não fazer julgamentos, deixe claro que você está ao seu lado. Questione se possível: "De que forma pode ajudá-la?"

Descubra o que fazer quando se está com depressão

 

Dicas importantes para depressão

Ainda que falte o ânimo, é aconselhável que não desista de vencer o problema. 

Procure também avaliar a realidade desses pensamentos negativos, veja se existe algum benefício neles? Procure se colocar de forma mais positiva frente a vida.

Outro fator importante é o isolamento que frequentemente ocorre. Então, saia um pouco de casa, procure estar próximo daquelas pessoas que você se sente à vontade.

Passar pela depressão e vencê-la é um processo que acontece gradualmente. Desta forma, não se pode exigir melhora imediata. Mas a cada passo que for dado rumo a melhora, mesmo que seja mínimo, será revertido em energia para as próximas realizações.

  

As dificuldades, às vezes são indícios de que o momento de lutar chegou. Já ouviu dizer que o corpo é o reflexo da mente?

Se previna da depressão fazendo isso:

  • Não troque nada pelo sono - durma o necessário;

  • Tenha uma boa alimentação;

  • Faça atividade física;

  • Se distraia, atuando em algo que lhe traga alegria e satisfação;

  • Fale dos seus sentimentos;

  • Interaja com o ambiente;

  • Se afaste de pessoas que não te valorizam...

Tratamento para depressão

 

Para a depressão existe tratamento. O tratamento dos transtornos de humor é mais eficiente quando começa cedo. Geralmente se faz pela procura de um médico psiquiatra, no qual avaliará se é caso para medicação. 

Se for necessário tomar medicação não fique com medo. Hoje em dia os medicamentos são bem modernos. Se indicados com responsabilidade a chance de eficácia é notória. Conheça mais sobre o assunto. O importante é que você seja bem cuidado e fique bem. Se possível, peça indicação de bons profissionais. Existem psiquiatras maravilhosos.

A realização de psicoterapia também é importante. Inclusive ela pode prevenir a recaída e aumentar a qualidade de vida. Também é importante que pessoa reconheça os pontos em que a deixam vulneráveis e as atitudes a serem tomadas. 

Quanto mais houver interesse em procurar ajuda, na mesma proporção será a motivação e a eficácia do tratamento.

Apesar de se tratar de um transtorno frequente hoje em dia, não se acostume em viver com depressão.

"Abrindo os olhos" para viver bem, se aprende a priorizar as coisas importantes!

Maria Cristina Santos Araujo
Psicóloga SP - 06/108.975