TRANSTORNO DE ANSIEDADE SOCIAL

Fobia Social

Além da timidez

       

 

Você é tímido?

Uma vez você já deve ter sentido timidez na vida: em alguma situação, ao lado de alguém, ao vivenciar algo que nunca lhe ocorreu, por temer algum comportamento seu ou do outro...

Você já imaginou estar todos os dias assim? Além da sensação de desconforto, inclui a ansiedade intensa e o medo apavorante. No entanto, alguém que sofre de fobia social vivencia muito esse constrangimento.

 

O transtorno de ansiedade social vai além de uma simples timidez,  porque é excessivo e marcante. Com isso, o sujeito geralmente se sente retraído em quase todas as situações sociais.

 

Dentro desse cenário, os homens são os que mais sofrem do problema.

O que é a fobia social?

O transtorno de ansiedade social é um dos transtornos de ansiedade, porém, aqui existe a presença de um temor intenso e excessivo, de uma ou mais situações sociais ou mesmo de desempenho - diante de pessoas não conhecidas.

O indivíduo que sofre desse transtorno não quer agir demonstrando ansiedade, ao mesmo tempo se percebe muito inseguro, achando que os outros estão percebendo seu estado.

Pensamentos sobre situações onde possa ser humilhado, lhe provoca sofrimento e angústia.

TIMIDEZ

Aprenda a lidar...

SONHOS DE UMA PESSOA SEM AUTOESTIMA

Defesa, medo, recurso - saiba mais...

SOLIDÃO

 

Medo de ficar sozinho

Desta forma, estar exposto, frente a situação social temida, lhe gera ansiedade, podendo alcançar sintomas de ataque de pânico (coração acelerado, falta de ar, tremor).

O que o sujeito faz para não sentir incômodo - na fobia social?

Considerando que nem sempre é possível se esquivar das interações sociais, o indivíduo vai procurar dar um jeito. 

 

No meu consultório de psicologia vejo essas pessoas se esforçando muito. Elas se preparam para o enfrentamento das situações, mais do que os outros. Algumas são tão dedicadas que fazem cursos para ficar menos inibidas, compram livros, frequentam palestras.

 

No entanto, as coisas podem fugir do controle de uma hora para outra, e o sujeito pode não ter o desempenho no qual tanto se preparou. Outros têm um desempenho excelente, mesmo assim se cobram demais, não fazendo contato com as próprias capacidades. 

Comportamentos mais apresentados - 

Transtorno de Ansiedade Social

Sinais do transtorno de ansiedade social:

 

  • Ansiedade ou medo de vivenciar situação social, em que supostamente seria avaliado; 

  • Ansiedade, medo ou esquiva - causam sofrimento e prejuízo ao sujeito;

  • Ansiedade e medo - não correspondem a um risco proporcionalmente real;

  • As situações sociais são evitadas ou vividas com sofrimento; 

  • Temendo o julgamento negativo dos outros, o sujeito não quer deixar transparecer que está ansioso;

  • Ocasiões sociais são geralmente provocadoras de medo e ansiedade;

  • Ansiedade, medo e evitação - são experienciados a mais de seis meses.

Transtorno De Ansiedade Social –  Principais características da fobia social - Psicologia

Quais são os prejuízos da fobia social?

 

 

Um lindo sorriso pode esconder uma profunda dor .           

Sabe aquelas pessoas bem simpáticas, com sorriso meio vergonhoso, mas que você percebe ela fugindo das situações, principalmente em grupo? Você pode estar diante de alguém que sofre muito com o transtorno de ansiedade social.

 

A esquiva das relações sociais, pode impactar significativamente no funcionamento ocupacional dela, se expandindo para diversas áreas.

Não é difícil ver alguém que sofre do quadro de fobia social totalmente sozinho. Embora, no fundo do coração desejasse estar num relacionamento amoroso, assim como vivendo na presença de outras pessoas.

São indivíduos que geralmente por conta da fobia social, já perderam oportunidades, já tiveram expectativas não realizadas, em meio a vários descontentamentos.

Quando buscar ajuda?

Transtorno de Ansiedade Social

 

Estar diante da situação social temida, faz o sujeito sentir na maioria das vezes forte ansiedade, podendo chegar a um ataque de pânico, como já descrito anteriormente. Mesmo que haja reconhecimento de que o medo é exagerado e sem cunho realístico, o sujeito tem certa dificuldade para se sentir mais à vontade.

Quando o prejuízo se torna muito sério e há grande angústia, é importante procurar um médico psiquiatra, para que ele avalie a necessidade de medicação.

O trabalho de psicoterapia também é aconselhável, porque dentro da perspectiva do quadro de fobia social, a dor existe, e o indivíduo já está muito ferido, precisando de apoio e afirmação. Assim como também, ele precisa de orientações.

 

Essa pessoa precisa entender como os sintomas agem, como se comporta frente a isso, quais são os limites que ela mesma se coloca.

O contato de "boa qualidade" precisa ser restituído a essa pessoa, auxiliando para que a interação dela com o ambiente seja melhor, provocando as mudanças necessárias. Dentro disso, a psicoterapia em particular, visa o estabelecimento e a manutenção da relação "eu x outro". 

"Até você tonar consciente, o inconsciente vai dirigir sua vida,e você vai chamá-lo de destino." 

Carl Gustav Jung

Quando as relações sociais são positivas, aprendemos com o outro sobre nós mesmos, inclusive a aceitar as diferenças - isso é gerador de crescimento pessoal. Cada dia mais, pesquisas têm mostrado os benefícios de ter uma vida social em dia.

Mesmo que você goste de ficar sozinho e precise fazer isso de vez em quando, há uma escolha a ser feita. Entretanto, quando se sofre do quadro de transtorno de ansiedade social, essa liberdade quase que nem existe, e o indivíduo sofre muito dentro da sua própria solidão.

"Abrindo os olhos" entende-se que a vida é constituída de caminhos e escolhas, mas não de destino.

Maria Cristina Santos Araujo
Psicóloga SP - 06/108.975