TRANSTORNOS DE ANSIEDADE

Conheça os transtornos: Medo, pânico, ansiedade

Saiba quais são os transtornos de ansiedade - Psicologia
Saiba quais são os transtornos de ansiedade - Psicologia

"Perder o controle do presente, é embarcar profundamente no futuro."

Maria Cristina S. Araujo

 

O que é a ansiedade?

Atualmente se fala muito em ansiedade, onde percebemos até mesmo crianças mencionando o termo.

O transtorno de ansiedade é um estado de humor, onde existe excessiva apreensão de que algo ruim aconteça quanto ao futuro. Com isso, se apresentam frequentemente sintomas físicos de tensão. 

Como saber se a ansiedade que sinto é incomum?

Todos nós em algum momento já sentimos ansiedade, principalmente quando temos algo importante a realizar como participar de um processo seletivo, fazer uma prova, apresentar um trabalho, defender uma proposta. 

 

Porém, o transtorno de ansiedade vai um pouco além daquilo que acontece numa situação comum do cotidiano, pois se trata de um quadro disfuncional que causa muitos problemas.

Quando se chega num estado de ansiedade grave, os sintomas não desaparecem, mesmo quando o indivíduo tem ciência da falta de motivos para aquilo que se sente.

Os transtornos de ansiedade se apresentam por meio de sintomas como medo, agitação e perturbações comportamentais.

Para se reduzir a ansiedade e o medo, muitas vezes o sujeito se utiliza de esquiva.

O medo é uma resposta emocional ao elemento angustiador, que tanto pode ser real ou imaginário. Desta forma, a ansiedade é a prevenção e a evitação de contato com esse objeto.

SÍNDROME DO IMPOSTOR

 

O medo de ser descoberto

CONSUMO COMPULSIVO

 

A vontade imensa de comprar  

DEPRESSÃO MAIOR

 

Conceito

As diferentes apresentações 

do transtorno de ansiedade

 

 

Transtorno de ansiedade generalizada - TAG - O que é

 

Se transcreve por aquele sujeito que se preocupa demais com tudo, embora esteja ciente que isso não lhe faça nada bem.

Ocorre nessa pessoa uma irritabilidade, dificuldade para dormir, tensão muscular e agitação mental. Ela não descansa, qualquer coisa lhe chama a atenção - para tão logo começar a se preocupar.

Há dificuldade para interromper o fluxo de pensamentos que surgem: indicando perigo ou de que algo muito ruim está para acontecer.

 

Mesmo que coisas boas apareçam, o indivíduo fica na espreita, aguardando algo catastrófico. Assim, coisas simples são interpretadas como negativas, nas quais passariam despercebidas por qualquer pessoa que não sofre do quadro de TAG.

 

 

Transtorno de pânico

O transtorno de pânico se configura por aquele sujeito que em algum momento já sofreu alguma vez o ataque de pânico. No qual, ele ficou  receoso e ansioso de que tudo ocorresse novamente.

No ataque de pânico está presente medo excessivo, sensação marcante de perder o controle ou de estar ficando louco.

Ocorrem também sintomas físicos como respiração curta, coração acelerado, náusea, tontura. A sensação é de estar morrendo ou tendo ataque cardíaco. Esses sintomas são vividos com muita angústia. 

De que forma pode ocorrer o ataque de pânico?

  • Vinculado a uma situação - assim a pessoa pode se esquivar de situações que remetem ao ataque de pânico, podendo ser lugares, acontecimentos, pessoas;

  • Inesperados - pode levar a esquiva total de lugares ou situações que remetem a sensação de perigo (agorafobia);

  •  Predispostos - possibilidade de acontecer ou não em algumas situações específicas.  

Fobias

Existe uma evitação de coisas que produzam sensação de ansiedade ou pânico.

  • Agorafobia - para acontecer é necessário que esteja presente medo e fuga de pessoas, lugares, situações: cinema, feiras, entre outros. 

  • Fobia específica - medo de uma situação ou objeto em especial: animais, alturas, atividade física, entre outros.

Transtorno de ansiedade social (fobia social)

 

Medo de ser julgado: falar em público, almoçar na frente dos outros, interagir socialmente, entre outros.

Mutismo seletivo

Dificuldade excessiva para falar em determinadas situações sociais, no qual é necessário que haja interação (escola, festas). Porém, isso não se repete em um local que seja fonte de segurança para o sujeito, por exemplo, em casa.

 

Transtorno de ansiedade por separação

Existe medo e preocupação no indivíduo. Porém, é excessiva, de que aconteça a perda ou algo ruim a alguém bem importante para ele.

 

Com isso, há uma recusa e sofrimento para se afastar da figura de apego.

 

Pode acontecer sintomas físicos como: dor de cabeça, desconforto abdominal, náuseas, pesadelos envolvendo a perda...

 

Agorafobia

Existência do medo ou ansiedade de modo excessivo, cujo surgimento ocorre diante de previsibilidade ou exposição real a situações temidas. 

Ocorre sofrimento para essa pessoa, onde ela vem a evitar todo o desconforto que sente por meio de se esquivar:

  • Sair sozinho de casa; 

  • Ficar em locais fechados;

  • Fazer uso de transporte público;

  • Permanecer em espaços muito abertos;

  • Estar no meio de aglomeração ou numa fila parado. 

Quem pode desenvolver

o transtorno de ansiedade?

​       

Causas e gatilhos que contribuem para o surgimento da ansiedade

Qualquer um pode desenvolver, mesmo crianças e idosos. Entretanto, as mulheres são as mais atingidas atualmente. Existem certas prevalências como fatores biológicos, influências comportamentais, influências sociais, influências emocionais:

  • Interpretação inconsciente de que os sintomas do pânico são catastróficos;

  • Sensibilidade excessiva quanto à situações e pessoas consideradas como estressantes.

Outro aspecto  importante a ser considerado  é a convivência com acontecimentos estressores (morte, divórcio, dificuldades no relacionamento, doença, pressões no trabalho), no qual podem deixar uma pessoa mais vulnerável.

 

Tratamento para ansiedade

Nos casos em que a ansiedade é excessiva, mesmo que o sujeito saiba que não há razão para sentir tudo aquilo, não faz desaparecer os sintomas.

Assim, as pessoas que sofrem de quadros de ansiedade, muitas delas, resistem até o último momento para procurar ajuda. Quando procuram auxílio estão imersas num pavor de perder o controle - é isso que percebo na clínica de psicologia.

Não somos treinados a olhar para dentro de nós, observar os sentimentos e incômodos, e a partir disso tomar uma posição para ficar melhor. 

Não somos treinados a valorizar as pequenas coisas que realmente são importantes como dormir bem, relaxar, viver o "aqui e agora", estar com pessoas positivas.

 

Imersos em apreensões e preocupações, fugimos do nosso presente e não nos atentamos aos sinais do próprio corpo.

O tratamento para ansiedade existe, e, costuma ser bem eficiente. Porém, o sujeito precisa estar aberto para seguir as recomendações e dialogar com os profissionais: quer seja com um psiquiatra, quer seja com um psicólogo. 

Apenas aquilo que somos tem o poder de curar-nos.

 

Carl. G. Jung

É possível ter uma vida melhor, com qualidade e sem ansiedade excessiva. Porque a ansiedade não deixa ninguém sossegado, ela tira o foco, incômoda - sendo intrusiva demais.

A ansiedade tira a liberdade aos poucos de qualquer pessoa! Não se recuse a procurar ajuda!

"Abrindo os olhos" se encontra dois caminhos "teorizar sobre a vida ou vivê-la".

Maria Cristina Santos Araujo
Psicóloga SP - 06/108.975