A DOR DE UMA PAIXÃO

Como passar por isso?

 

Como é a dor de uma paixão?

A paixão é um sentimento forte que acontece de uma hora para outra, sem ao menos avisar. Muitas vezes, parece ilógica e sem explicação. 

 

Detentora de vastas emoções, aplaca qualquer coração solitário, trazendo alegria ou um cenário de muita tristeza. 

A maioria das pessoas algum dia vivenciará esse sentimento tão marcante - que é a paixão. Mas, nem todas serão agraciadas em ter de volta o amor da pessoa amada, ocorrendo em muitos casos uma violenta dor.

A dor de uma paixão é um sentimento tão íntimo, que só aquele que passou por isso sabe: como é difícil encarar o coração angustiado. É como se o coração fosse dilacerado, onde a vida perdesse em certos momentos toda a sua graça.

Por ser tão forte, o rompimento amoroso é uma das causas sérias de suicídio. 

Desesperadas e sem saber o que fazer, muitas pessoas ficam confusas, achando que só elas passam por isso. Mas não é verdade, pois outras já venceram uma paixão não correspondida, e, hoje têm histórias de superação para contar. 

O rompimento amoroso não se trata apenas da privação do outro, mas de perder a liberdade momentaneamente da própria vida. Pois, lembranças, sentimentos de dor, angústia, sensação de abandono - invadem a rotina do indivíduo na maior parte do tempo.  

Sensação de que uma parte de si mesmo foi embora na dor de uma paixão

A falta de reciprocidade numa paixão é: uma intensa experiência de amargor, que faz parte do conjunto das mais fortes vivências da vida.

BAIXA AUTOESTIMA - no relacionamento amoroso

Veja o que acontece quando você se diminui...

DEPRESSÃO

 

Como vencer?

SOLIDÃO

 

Medo de ficar sozinho

No caso da paixão, há momentos em que o indivíduo se mistura com o outro, formando um "nós". Entretanto, com o passar do tempo normalmente ocorre a diferenciação.

 

Quando o rompimento acontece no auge do amor, no momento que ainda não se atingiu esse estágio de diferenciação, eu percebo que algumas pessoas ficam com o coração dilacerado, perdidas, sem saber o que fazer, é como se uma parte delas fosse embora.

"Aceitar ou não" a falta de reciprocidade na paixão, vai depender da singularidade de cada um.

Como as pessoas lidam com a desilusão

da dor de uma paixão

A dor da paixão

 

 

Confusão de pensamentos e instabilidade emocional na dor de uma paixão

Aquele que tem uma ferida em seu coração, tenta encontrar várias respostas para aquilo que aconteceu.

 

O coração dispara, a boca fica seca, sensação de fraqueza no corpo, dor no peito - mostra que uma paixão não correspondida - está tomando à frente da própria razão. O indivíduo passa o dia inteiro, por exemplo, sem conseguir esquecer aquilo que está sentindo.

 

Momento a momento, minuto a minuto, as lembranças acontecem em curto espaço de tempo, de uma esfera a outra e, trazem consigo muita dor. 

Exaltação da pessoa amada 

Quando a pessoa amada não é recíproca na afetividade, ela pode se tornar uma figura glamourizada por aquele que sofre.

Sendo colocada num pedestal, a pessoa amada (figura glamourizada) passa a representar o ser humano mais perfeito que existe, lhe sendo atribuído até mesmo poderes especiais.  

 

Ao colocar a pessoa amada muito acima de si mesmo, aquele que sofre considera que não tem o mesmo valor, achando justo ter sido recusado.

 

Entretanto, essa situação é uma ilusão, fomentada pela própria pessoa que sofre, como uma forma de lidar com a dor. Ela age desta forma, para talvez justificar a razão do outro não tê-la aceito.

Se você estiver fazendo isso, avalie se esse recurso está sendo realmente válido. É importante que você não se coloque para "baixo". Porque, é necessário muita autoestima e amor próprio para vencer isso.

 

Responsabilizando a si mesmo 

Algumas pessoas desenvolvem estratégias que visam curar o coração partido. Uma delas está em: tentar encontrar em si mesmo possíveis falhas, que levaram o outro a fazer o que fez.

 

Ás vezes, o ser amado não foi recíproco por escolha própria ou por uma questão de singularidade. E isso, não se relaciona muitas vezes aos atributos que o parceiro tem.

 

Essa estratégia mostra que para algumas pessoas é mais fácil passar pela dor, acatando para si a responsabilidade daquilo que aconteceu, do que olhar para o "ser amado" e perceber que ele não a quis.

 

Orgulho ferido

Quando se está apaixonado, é comum olhar para a pessoa amada e colocá-la num lugar de muita vantagem.

 

Uma vez que o ser amado se torna "alguém muito importante", por outro lado, também é um privilégio "muito grande" ser aceito por ele.

 

Em tais condições, a pessoa que ama ardentemente: sente os efeitos opostos do grau de importância que dá a esse outro, quando não é correspondida. 

 

O sentimento de desvalor costuma aparecer nessas horas, pois o ego se torna machucado. Porque a pessoa amada alcançou grandes proporções, enquanto o sujeito se afastou de si mesmo e se reduziu, para amar um outro alguém.

Desqualificação do outro na dor de uma paixão

Existe também, aquele sujeito que para esquecer do martírio que está sentindo, procura desqualificar a pessoa amada, tentando encontrar todos os defeitos possíveis. Essa é uma tentativa de expulsar a paixão de dentro de si.

Isso seria um recurso válido, se ajudasse essa pessoa a vencer sua dor. Ao forçar esse tipo de reflexão, ela pode entrar em conflito, principalmente se não é verdade a conjectura negativa do amor perdido.

Na verdade, não é nada fácil sofrer por uma paixão, e cada pessoa procura o modo mais eficiente de lidar com isso.

Afastamento momentâneo ou permanente do outro

Ouvindo cada um que já teve um coração partido, como psicóloga, é possível perceber a singularidade das estratégias utilizadas. Alguns por exemplo, procuram se afastar totalmente, com intuito de esquecer.

 

Outros preferem acompanhar a pessoa amada compulsivamente pelas redes sociais, até perceber que ela já está numa relação afetiva com outra pessoa. Contudo, isso poderá ser muito dolorido, demorando mais tempo para cicatrizar o ferimento.

 

A questão é que não é fácil passar por isso, pois o sentimento não é algo que temos o poder de comandar facilmente.

 

"O pensamento é o ensaio da ação."

Freud

O medo de não ser correspondido mais uma vez

 

A influência do seu passado nos dias de hoje

      

Existem pessoas que temem o momento de se entregar ao amor, porque sofreram no passado. Contudo, nada garante que o futuro será exatamente igual ao passado, mas muitos só sabem agir com cautela. Quando a cautela é excessiva, interrompe o fluxo de contato, e isso, prejudica qualquer relacionamento amoroso.

O problema da insegurança

 

Algumas pessoas acham que não são tão boas para conseguir alguém especial. Assim, elas ficam sozinhas ou escolhem parceiros errados.  Há aquele sujeito que sabota a própria relação afetiva, sem ao menos se dar conta do que faz. 

Quando o problema é a insegurança, trabalhar a autoestima costuma ter grandes resultados.      

 

"Por vezes as pessoas não querem ouvir a verdade, porque não desejam que suas ilusões sejam destruídas."

F. Nietzache

O medo e seus danos

 

O medo de amar alguém, pode ser vivenciado na representação de ser rejeitado, de sofrer por ciúmes, de não ser correspondido, traído, entre outros.

Quem se protege não se decepciona, mas também não sente a alegria que o amor proporciona.

O medo pode limitar a capacidade de se entregar ao amor, tornando alguém mais reservado. O isolamento em excesso, pode levar a quadros de depressão, ansiedade, fobias...

Quando você se protege para não amar alguém:

 

  • "Como saberá o que vai acontecer?"

 

  • "Como conhecerá sua reação frente a uma paixão?"

A possibilidade de vencer a dor de uma paixão

existe dentro de cada um

 

Aceitação 

 

A aceitação é um importante passo, para vencer a dor de uma paixão não correspondida. 

 

Olhar para a realidade, percebendo que não é mais possível ter a pessoa amada ao seu lado, poderá ser muito eficiente. Mesmo que dolorido seja aceitar isso, porém o ajudará a elaborar "que o fim realmente chegou".

Quando uma pessoa passa a viver com receio das coisas, ela se torna menos flexível e também refém daquilo que evita.

 

Fugir da aceitação de uma paixão que não foi correspondida, leva o indivíduo a levantar defesas. Assim, ele não se abre para a verdade, como também não se abre para o próximo amor. Sua vida se torna reduzida a poucas possibilidades, perdendo o sentido.

Esperança de ser correspondido um dia

Conseguir aceitar o término amoroso pode ser uma luta, que pode seguir por dias, meses, anos.

A esperança tem a função momentânea de atenuar a dor. Contudo, prolonga sua existência.

 

Se o indivíduo não encara de frente que o outro não o quis, a esperança da sua volta não possibilitará que ele siga em frente. 

Algumas pessoas permanecem com esperança por algum tempo, mas quando vão se passando os dias, elas começam a se dar conta que " elas não existem dentro do outro", e então, o "dar-se conta" da realidade acontece. 

Não é sofrendo por alguém que não te merece que você deve viver seus dias. Levante a cabeça e siga em frente, mesmo que com pequenos passos, você verá que poderá alcançar outros caminhos.

O sofrimento pode tanto derrubar - quanto fortalecer

Veja aqui

 

Você é muito mais forte do que pensa 

 

É em situações como essa que você vai descobrir a força que tem, por isso, não desista da sua vida!

 

Valorize as coisas que te aconteceram, até mesmo essa. Muitos fariam de tudo para um dia saber o que é estar apaixonado, porque nunca vivenciaram isso.

Você vai se reerguer novamente, mas para isso, encontre meios de transformar a dor em amor próprio.

Olhe de forma positiva para o que está passando

 

Se algo era para dar errado lá na frente, sinta-se aliviado por ter acontecido agora. Pois, você poderia sofrer bem mais, principalmente quando o vínculo se torna mais forte com o passar do tempo.

 

A vida às vezes nos propõe a passar por situações difíceis mesmo, mas que lá na frente se revelam como grandes oportunidades para nossa melhoria e amadurecimento.  

 

Pensamos nas perdas como descompensações, mas é por meio delas que desenvolvemos as experiências. 

 

É nas crises que podem surgir outras oportunidades, principalmente de olhar para a vida de um jeito mais extenso e significativo.

 

Muitas das vitórias antecedem por meio de duras perdas!

Dicas para você não sofrer ainda mais

pela dor de uma paixão

 

 

Quem já gostou muito de alguém sabe o que pode acontecer. Depositamos a nossa esperança, alegria e expectativa na pessoa amada. Colocamos nela o poder de nos fazer feliz e infeliz ao mesmo tempo, você concorda? 

 

Contudo, para algumas pessoas se entregar ao amor, significa estar vulnerável à ele. Para não correr risco, há quem evita tanto consciente quanto inconsciente esse sentimento. 

 

Também existe aquela pessoa que procura ser amada por alguém, porém na hora de corresponder ela fica com medo. Talvez por receio de perder o controle ou por achar que não receberá o mesmo amor de volta.

Mesmo que triste e sozinho, respire fundo, não se coloque em situação de desvantagem. Procure cuidar bem de você mesmo.

 

Não busque informações de preferência da pessoa amada pelas redes sociais. Se tiver que se afastar momentaneamente disso, faça conforme seja necessário. Não procure os amigos para saber sobre essa pessoa, mas sim pelo prazer de estar com eles. 

Procure não correr atrás de quem corre de você! 

A dor de uma paixão passa

Veja como sair disso

 

Seja compreensivo consigo mesmo

Se recuperar após o rompimento de um laço afetivo é doloroso mesmo. E, você não passará ileso por isso, assim como tantas outras pessoas, mas aguente forte, essa dor tende a amenizar com o tempo.

 

Um laço amoroso que não deu certo, não pode torná-lo apático, muito menos deve tirar sua esperança de se relacionar afetivamente com alguém um dia - pois isso é uma experiência maravilhosa!

É bastante comum alguma vez na vida, passarmos pela experiência de rompimento amoroso. A diferença é que uns superam mais facilmente e outros nem tanto.

Volte a sua rotina, retome seus projetos, faça coisas significativas, saudáveis e prazerosas.

Perdoe para liberar para liberar energia para o seu crescimento

Dentro de nós existe muita energia, e são dispensadas em boa parte para aquelas situações que carregamos mal resolvidas.

 

Sua desconfiança usa parte dessa energia, sua raiva usa parte dessa energia, seu medo usa parte dessa energia. Por isso, é importante perdoar, seguir em frente, elaborar o que aconteceu, para que você possa viver em paz, aproveitando toda sua energia para se desenvolver ainda mais.

 

"O amor é formado por uma única alma, habitando em dois corpos."

Aristóteles

Por que perdoar alguém que te feriu tanto?

Ao perdoar você não estará fazendo bem ao outro, mas para si mesmo. o outro colherá aquilo que plantar.

Algumas pessoas experimentam profundas dores existenciais podendo entrar em situação de depressão, baixa autoestima, medo de novas relações, ansiedade.

 

Perdoar te ajuda a seguir me frente. Porém, você jamais deve esquecer a lição que aprendeu. Você entendeu?

O ideal é que a dor não tome proporções imensas a ponto de prejudicar a sua rotina laborativa. Em razão disso, procure uma ajuda profissional, caso se veja numa situação que não consegue sair.

A procura de um médico psiquiatra precisa acontecer quando ocorre disfunção física. 

 

A procura de um psicólogo precisa acontecer quando a elaboração se torna muito difícil de ocorrer, mesmo com o passar do tempo. 

Por outro lado, também não se iluda em querer para você um relacionamento perfeito. Mesmo os casais que se amam, às vezes discutem, têm diferenças e tentam se acertar entre eles, isso faz parte da fluidez. Mesmo estando num relacionamento saudável ainda é: "um humano lidando com outro humano". 

"Abrindo os olhos" é possível aprender que o maior amor é aquele que você se dá. Por ser tão grande é capaz de amar o mundo!

Maria Cristina Santos Araujo
Psicóloga SP - 06/108.975