COMPLEXO DE SUPERIORIDADE

O desejo de ser aquilo que não é

 

Complexo de superioridade - como identificar?

Sabe aquela pessoa de nariz empinado, altiva e exibida? Talvez seja alguém com complexo de superioridade. Entretanto, não podemos confundir com uma pessoa que tem autoestima e autoconfiança.

Autoestima e autoconfiança são elementos primordiais para se viver em harmonia, saúde e satisfação, mesmo não tendo uma vida perfeita (se é que existe). São sentimentos que remetem ao bom reconhecimento de si mesmo, junto com a sabedoria de confiar nas próprias atitudes. 

A atuação do complexo de superioridade na vida de uma pessoa é autônoma e inconsciente.

O que é o complexo de superioridade?

O complexo de superioridade é envolvido de sentimentos. Esses sentimentos estão no inconsciente, se expressam por meio da compensação e projeção.

 

As pessoas que vivenciam isso, frequentemente deslocam os seus possíveis sentimentos de inferioridade sobre outras. Assim, todos que estão ao seu redor são inferiores.

 

São pessoas que geralmente se comportam de forma egocêntrica, interessadas com a satisfação dos próprios desejos. Sem limites muitas vezes, não consideram as necessidades dos outros.

AUTOESTIMA

Veja como você desenvolve sua autoestima. Dicas importantes...

AUTOCONHECIMENTO 

Dicas de como desenvolver...

SÍNDROME DO IMPOSTOR

 

O medo de ser descoberto

Comportamentos mais apresentados

Complexo de Superioridade

 

Como as pessoas demonstram seu complexo de superioridade?

Alguém com complexo de superioridade tem propensão a se apresentar de forma exibida e egocêntrica.

Mantém uma imagem idealizada de “si mesmo”, demonstrando-se enaltecida por características de poder e valor.

Essa pessoa aprecia se enaltecer, deixando claro as características que lhe conferem o imaginário título de superioridade, podendo ser a beleza, conquistas, status, dinheiro, roupas, meio social...

O complexo de superioridade passa qual imagem para os outros?

O sujeito com complexo de superioridade procura dar um jeito de se colocar acima dos outros, mesmo sem perceber o que está fazendo.

 

Pode em alguns momentos rebaixar o outro, por possíveis defeitos ou desqualificações.

Seu jeito de falar soa grosseiro, quando não toma o devido cuidado.

O indivíduo costuma dizer o que pensa, sem se interessar se está magoando o próximo. Se opõe a opinião dos outros com força, para mostrar que ele manda na situação. 

 

A cabeça que encontra a solução, é a mesma que elabora o problema.

Leandro Karnal

Também, desmerece com facilidade as conquistas alheias. Sua postura altiva, provoca incômodos nos outros e intimidação.

Geralmente essa pessoa não faz esforços para ser simpática com as outras. Mas espera que de alguma forma, seja respeitada e reconhecida como "a melhor", pois se sente merecedora para isso.

Como a pessoa se protege?

Costuma também, se manter emocionalmente isolada à maioria das pessoas. Pois, não confia em ninguém, teme ser traída, explorada ou invadida.

Também tende a nutrir expectativa excessiva em relação ao seu próprio desempenho.

Se sente vulnerável caso apareça alguma incompetência. Assim, procura se estruturar em suas habilidades e na luta pelo poder. Mas, é no outro que costuma projetar sua fragilidade. 

Algumas dessas pessoas passam anos assim, sem saber o que é ter uma amizade de verdade, um bom relacionamento romântico, sendo que até sua família pode se afastar em casos extremos.

Caminhando solitariamente, dificilmente elas tocam e são tocadas pelo afeto.

Veja como nasce o complexo de superioridade

​Segundo a visão de Alfred Adler - complexo de superioridade

Toda criança é dependente de cuidado externo. Aos poucos ela vai se dando conta, que para sobreviver, precisa que alguém a cuide.

 

Ela tem consciência de que está sempre sobre a guarda de alguém, de que não consegue fazer suas coisas sozinha. Assim, se sente inferiorizada. Contudo, esse sentimento de inferioridade acompanha a criança até certo tempo.

Acredito que você já tenha percebido uma criança nos seus dois a três anos de idade, que fica respondona, não quer obedecer, faz birras.

A rebeldia da criança, dá sinais de que ela está tentando criar autonomia, porque quer diminuir o desconforto que sente. Esse movimento é esperado e também necessário para o seu desenvolvimento.  

Uma criança independente é cheia de autoestima e auto suporte. Entretanto, os pais devem respeitar o limite do desenvolvimento cognitivo dela. Pois, se eles forçarem uma criança pequena, de forma excessiva, para ter autonomia, provavelmente ela sentirá o oposto àquilo que eles querem.

O que eu penso sobre o que dizem a meu respeito?

Não penso. Dispenso!

Mell Barcellos

Alguns indivíduos não conseguem superar os próprios sentimentos, fazendo-se estabelecer o complexo de inferioridade. Com relação a isso, existem pessoas que reagem de forma antagonista ao complexo de inferioridade, procurando ser superior. Assim, surge o complexo de superioridade.

Prejuízo x Superação

Complexo de Superioridade

 

A socialização no complexo de superioridade

As pessoas com complexo de superioridade se percebem sozinhas em dado momento. 

 

Geralmente essa pessoa não entende porque os outros se afastam dela. Ela geralmente não analisa o próprio comportamento. Ela não percebe que o comportamento dela faz com que as pessoas se sintam desprezadas ou desmerecidas, sendo que ninguém gosta de ser tratado assim.

Com tendência a culpar o outro e a observá-lo (para encontrar várias lacunas), ela deixa de refletir sobre o próprio comportamento, dificultando sua transformação.

Essas pessoas precisam encontrar meios para flexibilizar o modo como agem. É preciso que se percebam no relacionamento com o outro, conscientizando-se das provocações que faz.

Contato empobrecido no complexo de superioridade

Geralmente o indivíduo é cheio de defesas, prefere ficar no racional, do que no instintivo. 

 

Assim, o contato com o mundo interno é mais empobrecido, refletindo isso em suas atitudes no ambiente, que geralmente se tornam ineficientes.
 

 

Estar no "aqui e agora", é unir nossa atenção e a nossa consciência. 

 

Fritz Perls 

Quais os desafios da pessoa no complexo de superioridade

O desafio para esse sujeito está na interação. Apresenta dificuldade para "trocar" com o ambiente, para então deixar fluir o diálogo espontâneo. Ele prefere controlar do que relaxar.

 

Enquanto uma pessoa vive várias experiências, esse sujeito passa a maior do tempo com teorias sobre "o que é viver". Enquanto uma pessoa "sente", ele racionaliza "o que é sentir".

Já vivenciei muitas vezes essa situação no meu consultório de psicologia. Onde essa pessoa fica amarrada, se segurando, para não fazer contato com os próprios sentimentos.

 

Acredito que essa linda reflexão de Carl G. Jung explica bem isso: "Não há despertar de consciência sem dor. As pessoas farão de tudo, chegando aos limites do absurdo, para evitar enfrentar a sua própria alma. Ninguém se torna iluminado por imaginar figuras de luz, mas sim por tornar consciente a escuridão."

Dentro dessa explanação, o complexo de superioridade pode trazer prejuízos, se fazendo acumular grandes amarguras dentro dessa pessoa. Não pense que ela não sofre, pois isso é um grande engano. 

A solidão costuma bater forte quando os anos passam, e ela não consegue mudar as circunstâncias dos acontecimentos que a desfavorece socialmente. Pense nisso quando você um dia encontrar alguém assim. 

 

"Abrindo os olhos" para si mesmo, se transforma o mundo, inclusive o interno!

Maria Cristina Santos Araujo

Psicólogo São Paulo - 06/108.975

Endereço: Rua Abílio Soares, 233, 1º andar,        Paraíso - São Paulo - SP 

PSICOLOGA SP -

  • Instagram

ARTIGOS DE PSICOLOGIA

Os artigos aqui publicados representam alternativas para ajudar pessoas a refletir com conteúdo on-line. Porém, o ser humano não se esgota nisto, pois ele é muito vasto em suas possibilidades.

 

As publicações do Site de Psicologia não têm como pretexto substituir uma consulta profissional a um psicólogo, psiquiatra, neurologista, entre outros profissionais da saúde. 

Aviso Legal - Inciso I do Artigo 29 - Lei 9.610/98

É proibida a reprodução parcial e integral das informações contidas neste site, tanto em internet quanto em qualquer outro meio de comunicação sem autorização da autora, mesmo que citada a fonte.

 

As informações aqui contidas, podem ser utilizadas para trabalhos escolares, sem que sejam republicados na internet.

O site tem por caráter a expressão de conteúdos de Psicologia. No qual, conta a partir da visão da autora que é psicóloga, e não tem por caráter substituir consulta a um profissional da saúde.

Psicóloga em São Paulo: MARIA CRISTINA S. ARAUJO

CRP: 06/108.975

COMO ENTRAR EM CONTATO?

Apenas marcação de consulta e para tirar dúvidas sobre valores. 

Demais assuntos podem enviar mensagem para:

mensagem@psicorientacao.com

Devido ao grande volume de mensagens recebidas diariamente, serão respondidas "apenas aquelas em que eticamente posso auxiliar".

AVISO IMPORTANTE!

Por questão ética e clínica, não faço interferência terapêutica sobre pessoas que "não são meus pacientes". Espero que você entenda. Um grande abraço!

PSICÓLOGA SP: MARIA CRISTINA S. ARAUJO

CRP: 06/108.975

PSICÓLOGA SP: LILIAN VIEIRA N. LIMA

CRP: 06/39.533

"Abrindo os Olhos"

em breve

Podcast de Psicologia

Com assuntos interessantes

POLÍTICA DE PRIVACIDADE 

20/02/2021

Dados do responsável técnico

Maria Cristina Santos Araujo é psicóloga registrada pelo Conselho de Psicologia do estado de São Paulo (CRP: 06/108.975).

Nesse momento está trabalhando on-line devido a pandemia de covid-19. Sua presença no consultório presencialmente ocorre em casos específicos. Proprietária da empresa: CLÍNICA DE PSICOLOGIA SINGULARIDADE LTDA. – Inscrita no CNPJ 34.929.022/0001-52 – Endereço: R. Abílio Soares, 233, CONJ 11, Paraíso, São Paulo – SP, CEP 040005-000  

 

 

Tipo de informação coletada

  • Arquivo o seu e-mail somente quando você o adiciona no site voluntariamente, através do envio de mensagem por meio do formulário. O arquivo poderá servir futuramente para divulgação de meus trabalhos. Caso o cliente não tenha interesse, pode deixar registrado que não deseja receber e-mails da minha parte.

  • Além disso poderei utilizar ferramentas para medir e coletar informações de navegação, incluindo o tempo de resposta das páginas, tempo total da visita em determinadas páginas, informações de interação com as páginas. A tecnologia utilizada é o Google Analytics. As informações coletadas são utilizadas para melhorias do site, para criação de conteúdos que melhor atendam o público interessado nos mesmos. 

  • O site é hospedado na plataforma Wix.com. A plataforma online me permite apresentar serviços para os interessados. As suas informações podem ser armazenadas no banco de dados do Wix.com. O Wix.com armazena as suas informações em servidores seguros por firewall. O Wix.com está em conformidade com as regras do PCI DSS (Payment Card Industry Data Security Standards (PCI DSS) e é reconhecida como fornecedor nível 1.

Comunicação com os visitantes do site

  • O método de comunicação com o cliente é por meio de e-mail, quando a solicitação do mesmo é possível de ser realizada. Isso ocorre devido ao número de mensagens recebidas diariamente serem elevadas.  O WhatsApp é utilizado apenas para marcação de consulta e para tirar dúvidas sobre serviços.

 

  • A profissional aqui mencionada não pode fazer interferência terapêutica em pessoas que não são pacientes.

Alteração desta Política de Privacidade

O conteúdo desta Política de Privacidade pode ser alterado conforme a necessidade legal da lei ou outros requisitos de cunho jurídico. Sendo dever do cliente observá-lo sempre que efetuar o acesso à plataforma.

  • Pinterest