ESTRESSE - O inimigo silencioso

Passos para evitar

Tudo aquilo que não enfrentamos em vida acaba se tornando o nosso destino.

 

Carl  G. Jung

O que é o estresse?

 

Estresse não é um simples cansaço como muitos costumam utilizar o termo. Se trata de uma função para a sobrevivência, que o homem tem por natureza desde a sua existência.

 

Se torna um problema, quando permanece por muito tempo em nosso organismo os hormônios do estresse, perdendo assim - a função para o qual existe. 

     

O estresse é muito importante para a defesa do organismo, quando age conforme a necessidade e funcionalidade dele.

   

Contudo, passa a ser disfuncional, quando provoca desgaste no organismo. Para aquele que sofre de estresse no seu dia a dia, se torna cansativo e perigoso para a saúde.

Em que momento o estresse se torna ruim para o organismo? 

 

Cada um está sujeito a passar por momentos em que envolve risco à vida. Frente a isso, o organismo se prepara para reagir - passando por algumas etapas. 

 

Em sua preparação, o organismo promove uma série de modificações internas, que podem ser entendidas como mecanismos de ajuste para defesa. 

 

O perigo passa a existir quando as respostas que seriam normais em qualquer situação de perigo, se tornam ativações repetitivas em qualquer momento e sem necessidade.

 

É nessa circunstância que começam a surgir alterações patológicas, os sintomas.

SOLIDÃO

 

Possibilidade de transformação

TRANSTORNO DE PÂNICO 

Conheça os sinais...

TRANSTORNO BIPOLAR

Conceito, informações para lidar com as crises...

Veja como ocorre o estresse no seu corpo

 

 

A ação danosa do estresse em   7   passos

       1.   Existe uma situação de perigo real. Por exemplo, uma pessoa é assaltada por um homem, numa moto, onde ela ficará assustada. O organismo entenderá que essa pessoa corre sério perigo.

       2 .  Frente à ameaça, o organismo reagirá para se defender. Nesta hora, a pessoa assaltada poderá sentir respiração e coração acelerado, frio na barriga, tremor. No tempo das cavernas, o estresse fazia o homem potencializar a fuga, principalmente de animais ferozes. Assim, a função do estresse era ativada, para o ser humano se proteger frente a ameaça.

 

       3 .  Dentro dessa circunstância, posteriormente é esperado que essa pessoa do nosso exemplo, volte ao estado de antes: na fase de equilíbrio em que ela andava normalmente pela rua. Vamos supor aqui, que essa pessoa desenvolve um trauma, passando a fazer associação daquilo que aconteceu com a atual realidade dela. Nesse cenário, cada vez que ouve o barulho de uma moto ela fica com medo, devido a ameaça que sofreu.

       4 .  Não sabendo discriminar entre real e fantasia, se realmente corre risco ou não, o organismo entrará na fase de resistência, no qual se preparará novamente para se defender ou para fugir. Com isso, o organismo passará a mobilizar várias atividades internas, precisando de energia cada vez maior para manter o estado de alerta.

       5 .  Caso esta situação se perpetue por mais tempo do que deveria, o corpo dessa pessoa se esgotará, caracterizando a fase de exaustão. Muito conhecida pela forma danosa de ser, a exaustão diminui o desempenho do sistema imunológico, aumenta os índices de hormônios estressores, contribuindo para outros fatores negativos.

       6 .   O organismo desse sujeito está exausto, assim, as portas estão abertas para a ação de vírus, bactérias, entre tantas doenças físicas e psicológicas.

       7 .   Essa pessoa poderá passar por cada etapa do estresse sem saber. E, de forma silenciosa os efeitos do estresse agirão. Quando se chega ao extremo do problema, os órgãos ficam comprometidos, podendo chegar a morte devido a algum problema decorrente.

Em nossa atual sociedade, percebemos que o estresse poderá agir mais contra do que ao nosso favor. Assim, aquilo que deveria ser usado para nos defender, acaba sendo uma arma para nos destruir e nos incapacitar.

Sintomas do estresse

  • Tensão e dores musculares;

  • Tremores;

  • Tonturas;

  • Ansiedade;

  • Hipertensão;

  • Alterações no humor;

  • Cansaço, perturbações;

  • Perda ou excesso de apetite;

  • Insônia ou sono exagerado;

  • Instabilidade emocional;

  • Problemas gastrointestinais;

  • Tristeza profunda e falta de motivação;

  • Dores no corpo, principalmente de cabeça;

​​​

  • Dificuldade de concentração e perda de memória;

  • Problemas de pele e circulação...

O estresse é um inimigo silencioso, que vai chegando aos poucos, sem ao menos o indivíduo perceber. Por essa razão, deve-se tomar cuidado com a saúde e com as preocupações.

 

Saiba distinguir quando for "falta de tempo" ou "falta de prioridade".

Você não precisa ser a última opção, tá?

Mell Barcellos

Causas do estresse

 

Influência de fatores internos - no estresse

 

Vulnerabilidade na personalidade é uma importante questão no caso do estresse. 

 

Imagine, por exemplo, aquela pessoa que tem uma personalidade perfeccionista, ou então, que é sensível demais à crítica. Elas promovem um estado de tensão constante, sendo candidatas ao estresse no dia a dia.

 

As pessoas não se dão conta que o organismo pode se desgastar sobre efeito do estresse ao longo do tempo, e por isso vão levando a vida, até que são surpreendidas com algo.

Influência de fatores externos - no estresse

 

Se refere a tudo que está fora do indivíduo, mas que interfere na forma dele agir e sentir. Acontece por meio de situações tanto positivas como negativas:

 

  • Demissão do trabalho;

  • Aposentadoria;

  • Mudança de cidade;

  • ​Nascimento de um filho;

  • Doenças;

  • Perdas envolvendo luto, negócios, relacionamento;

  • Exposição à situações de perigo; 

  • Vivências constantes de momentos de humilhação...

 

Prevenção para o estresse

Vivemos numa sociedade corrida, onde cada vez mais se torna hábito não ter qualidade de vida. Então, seria importante se olhar com mais atenção e carinho.

O estresse nada mais é do que um sinal de alerta para que algo seja mudado.

Para viver melhor, se relacione com boas pessoas, tenha amigos, se aproxime de quem é otimista. Se afaste daqueles que te colocam para baixo e não desejam o seu crescimento. 

 

Trabalhe no que gosta - saiba separar bem seu tempo. Procure também não adiar aquilo que você precisa fazer.

Cuide do seu corpo - se alimente bem, faça atividade física. E, se surgir algum sintoma procure um ajuda profissional - priorize sua saúde.

 

Se divirta mais - tenha hobbies, viaje, faça passeios agradáveis e descanse.

Tenha autoestima, construa sonhos, desenvolva e melhore aquilo que é necessário para sua vida.

Cuide da sua saúde mental - faça terapia. Desenvolva seu autoconhecimento, procure concluir aquelas questões pendentes que te tiram o sono, procure resolver seus problemas.

 

A gente pode até perder o sono, mas os sonhos, jamais!

Mell Barcellos

Indiscutivelmente, faça uso dos seus órgãos do sentido, e viva uma nova experiência daqui para a frente.

É possível perceber muitas pessoas procurando ajuda profissional quando já passaram do limite já a muito tempo. Para aqueles que buscam ajuda, a visão é otimista sobre o prognóstico.

"Abrindo os olhos" para o autoconhecimento, você começa a fazer o bem para si mesmo!

Maria Cristina Santos Araujo
Psicóloga SP - 06/108.975