LUTO OU DEPRESSÃO?

Conheça as diferenças

 

O que acontece com uma pessoa enlutada?

A morte de uma pessoa próxima é algo que inevitavelmente acontece, mas que não estamos prontos para espontaneamente lidar com isso. Se trata de uma das dores mais intensas, que o ser humano um dia tem que encarar.

 

Assumir que está sofrendo, faz parte do processo para superar a perda. Assim como, compreender que daquele dia em diante a vida será diferente, onde as coisas precisarão mudar.

Viver o luto pode gerar algumas reações, como choro constante, raiva, desânimo, tristeza, apatia...

 

Nos primeiros dias a dor pode ser tão intensa, que a pessoa enlutada é capaz de entrar em desespero, também pode sentir medo e sensação de vazio. Porém, todos esses sentimentos estão relacionados com a dor da perda. 

 

Vivenciar o luto não significa entrar profundamente numa depressão, sendo preciso diferenciar um do outro.

Como é a dor do luto?

Todo mundo alguma vez sentiu uma tristeza, e, sabe o quanto é difícil. 

Quando acontece a morte de um ente querido, onde havia um forte vínculo, é capaz que a pessoa enlutada experiencie um sentimento tão forte, como acontece na depressão maior. 

Porém, se aparecer ideação suicida, elementos psicóticos e outros sintomas da depressão grave, é bem provável que o quadro de depressão tenha se instalado. Precisando desta forma, de ajuda profissional. Principalmente se após um ano os sintomas permanecem os mesmos. 

MORTE E FINITUDE

 

O caminho para aceitação

TRANSTORNO DEPRESSIVO MAIOR

 

Sintomas, tratamento e dicas importantes para lidar com isso...

TRANSTORNO DE ANSIEDADE SOCIAL - FOBIA SOCIAL

 

Como identificar?

É importante destacar que o luto não leva ao quadro de depressão, a não ser que existam fatores que propiciem isso.

As diferenças entre estar enlutado e estar em depressão

Uma pessoa que está enlutada se percebe na maior parte do tempo sentindo uma dor intensa, principalmente nos primeiros dias.

 

A existência de um vazio lhe diz que nada será como antes. Entretanto, ao conversar com amigos ou mesmo sozinha, ela poderá lembrar de alguns fatos marcantes: vindo a sorrir ou mesmo ter minutos de felicidade ao lembrar do ente querido.

 

Na depressão maior o humor está deprimido. O sintoma persiste o tempo todo, não havendo possibilidade de sentir alegria ou mesmo prazer diante das pessoas mais próximas ou das lembranças.

A tristeza no luto vem atrelada a lembranças daquele que partiu. Na depressão maior a tristeza não está associada a um elemento específico. 

 

Mesmo que triste e muitas vezes sem atitude, a pessoa enlutada ainda mantém sua autoestima preservada. Porém, no transtorno depressivo  maior isso não acontece. Na depressão maior ela se sente muito mal consigo mesma, onde existe autocrítica severa, acompanhada de pensamentos pessimistas sobre o futuro. 

Quando a pessoa enlutada percebe que não agiu da forma correta com o ente querido, ela também pode ficar culpada, com pensamentos de auto depreciação. Porém, fica notória a razão de estar sentindo aquilo. No transtorno depressivo maior a sensação de desvalia é constante.

 

Tanto na depressão maior quanto no luto, o desejo de morrer pode existir. No entanto, na depressão maior existe um sentimento de baixa autoestima, de não merecer estar vivo e de não querer enfrentar as coisas.

 

A pessoa enlutada por sua vez, quando deseja morrer, é com o intuito de querer encontrar novamente o ente querido ou de fugir da dor do luto. 

O desconforto do luto pode diminuir de intensidade no decorrer dos dias. Contudo, os sintomas do transtorno depressivo maior persistem na maior parte do dia, sendo quase todos os dias.

Sintomas do transtorno depressivo maior

Alteração no humor

Ansiedade; culpa excessiva; sensação de vazio; tristeza; fadiga; sentimento de inutilidade; desesperança;  falta de interesse e prazer nas coisas. 

 

 

Cognição

Falta de concentração; lentidão no pensamento e na compreensão; pensamentos recorrentes de morte.

 

      

Mudança no sono

 

Insônia ou hiper insônia

Sintomas no corpo

  • Aumento ou diminuição da fome/peso;

  • Atitudes comportamentais irritabilidade; 

 

  • Agitação psicomotora; capacidade diminuída para tomar decisões, choro constante...

"Liberdade é o que você faz, com aquilo que aconteceu com você."  

Jean-Paulo Sartre

Não se acostume com o sofrimento

A pessoa enlutada é aquela que pode se fechar por um tempo, procurando sair menos, se isolando socialmente, evitando assim, o contato. Porém, ela age dessa forma porque está sem energia para atuar frente ao ambiente - essa ação de recuo é momentânea. Porém, no transtorno depressivo maior o humor segue por dias ou meses deprimido.

Desta forma, o tratamento médico e psicológico deve ser procurado, principalmente quando os sintomas se agravam, e não diminuem com o passar do tempo.

Já observei muitas pessoas fazendo confusão com os sintomas do luto e da depressão.

 

É importante saber que os sintomas do transtorno depressivo maior representam sofrimento com prejuízo significativo. Sendo constantes os sintomas, eles podem abranger todas as esferas da vida de um sujeito. 

Tudo que é excessivo, quer seja na forma de sentir tristeza, vazio, apatia, é necessário ficar atento.

Por outro lado, o luto negado ou não muito bem resolvido, pode impactar na saúde, no trabalho, nos relacionamentos, nos objetivos, num todo. Sendo assim, precisa ser superado.

Quando a dor toma muito mais lugar do que as outras coisas, a pessoa precisa tomar a decisão de voltar a viver, e consequentemente deve procurar ajuda se não conseguir fazer isso sozinha. 

"Abrindo os olhos" percebemos que aquele que amamos nunca parte em nós, mas se transforma!

 
Maria Cristina Santos Araujo
Psicóloga SP - 06/108.975