BAIXA AUTOESTIMA

Influência no dinheiro que você ganha

fique atento!

 

 

Por que hoje muitas pessoas "vivem de aparências"?

 

Percebemos que é tão comum hoje em dia, pessoas nas redes sociais postando fotos maravilhosas de lugares exuberantes. Muitas remetem ter um certo poder aquisitivo, sem que necessariamente isso seja verdade. 

 

A sociedade nos passa a ideia de que para ser alguém importante tem que acumular dinheiro, comprar coisas, apresentar um estilo de vida ricamente diferente. Tão cedo somos imersos nesses ideais de que para "ser é preciso ter".

Para uma pessoa que acredita fielmente nisso, por certo focará sua vida nessa investida. Então, para ela o dinheiro será um ideal de felicidade, enquanto que para outra ele será um fator importante, mas não tudo.

 

Em que momento a busca pelo dinheiro é saudável?

 

Existem aqueles indivíduos que buscam o dinheiro de uma forma mais singular. Quando conquistam, ficam muito felizes, pois acreditam que é um componente para se “viver bem”, mas não abdicam de outros valores.

 

Para essas pessoas o dinheiro é um item valioso (mas não único), que

em paralelo somam a outros fatores, contribuindo para a sua felicidade.

 

Entretanto, o problema ocorre quando uma pessoa baseia sua vida inteira em buscar a felicidade num ideal que não faz sentido para ela mesma, mas sim para os outros. Incorporando desta forma, um modo de viver pouco autêntico. 

 

Essas pessoas quando atingem o objetivo de conquistar aquela boa quantia em dinheiro experimentam o  "vazio". Momento em que lidam com a falta de significado em suas vidas.

BAIXA AUTOESTIMA - no relacionamento amoroso

Veja o que acontece quando você se diminui...

SÍNDROME DO IMPOSTOR

 

O medo de ser descoberto

MEDO DO JULGAMENTO DOS OUTROS

Como superar?

Eu percebo que essas pessoas costumam chegar à terapia inseguras quanto ao próprio valor. Não é raro elas serem vítimas de falsas amizades e amores.

 

Mas, na situação terapêutica elas descobrem como são maravilhosas, e, o quanto de vida ainda há para se aproveitar. Muitas passam por um processo lindo de descobertas, desafios e de entrega.

Não ter dinheiro diminui a autoestima?

Se você é alguém que gosta de ir atrás do que deseja, que costuma trabalhar para conseguir suas coisas e ainda é responsável por suas contas, é claro que passar por uma dificuldade econômica como o desemprego, poderá deixá-lo abalado interiormente num primeiro momento.

 

Qualquer pessoa pode ficar mexida emocionalmente, quando se depara em condições economicamente desiguais, em que envolve também a sobrevivência e o bem-estar de sua família.

Como dizer que aspectos como salário baixo, desemprego, moradia precária e saúde, não impactam na autoestima das pessoas?

Claro que há muitas coisas boas a serem consideradas, mas muitos se sentem abalados, porque gostariam de "ter e de oferecer" uma vida melhor para sua família.

Não dá para negar que para alguns acumular muito dinheiro é comparável a dignidade, enquanto que para outros apenas ter um emprego já é o suficiente para viver feliz.

Preocupação em excesso acrescida de “não resolução dos problemas financeiros” pode afetar o estado emocional de qualquer pessoa, influenciando na autoestima. 

Mas, você também pode ter baixa autoestima antes de sofrer a crise financeira, sendo isto, um dos gatilhos que podem levá-lo a crise.

A influência que o dinheiro tem em sua vida, será proporcional a sua crença, do que com ele poderá "fazer, ser ou atingir".

Veja o impacto da autoestima

sobre o dinheiro que você ganha

 

 

Comprar tudo "do bom e do melhor" aumenta a autoestima?

Quando uma pessoa faz coisas para satisfação própria de forma equilibrada e consciente, isso aumenta a sensação de bem-estar e contribui positivamente para a autoestima.

Mas, quando ela passa a agir com intuito de mostrar aos outros o status que o dinheiro lhe proporciona, o seu funcionamento total pode-se tornar obsoleto, possivelmente não contribuindo para a autoestima, mas sim para o orgulho e vaidade. Assim como, não contribui para a resiliência.

"Quem vive em função do orgulho, pode passar a vida inteira tentando provar alguma coisa que não é."

Trata-se daquele sujeito que muitas vezes fica sem dinheiro, porque justamente tenta mostrar que tem dinheiro. Assim, deixa de poupar e gasta além do que ganha.

"Percebemos desta forma que o orgulho cega e a autoestima direciona."

Necessidade do dinheiro em nossas vidas

Se olharmos para a história da humanidade, o homem do tempo das cavernas não tinha dinheiro, mas vivia procurando sobreviver de alguma forma.

Dinheiro é uma instituição criada pela sociedade e, existirá até o momento em que acreditarmos nele. Contudo, quando citamos a autoestima falamos de equilíbrio - que também envolve as finanças.

Insegurança X perder dinheiro

Uma pessoa insegura tende a ficar com receio de aceitar desafios, e até mesmo poderá sabotar aquela promoção tão esperada no trabalho.

No nosso país, onde a economia está passando por uma série de mudanças, só o fato de ficar parado na carreira afeta no bolso e gera  prejuízos.

A falta de autoconfiança influência tudo o que fazemos. E, aquele que é empreendedor também sofre com o impacto da sua criatividade, visão e flexibilidade - que são características importantes para o crescimento do negócio.

"Quando a autoestima está em baixa, o sujeito pode gastar mais do que ganha ou agir impulsivamente."

Maria Cristina S. Araujo

A baixa autoestima pode fazer o indivíduo permanecer naquilo que já conhece, ao invés de tentar algo melhor, porém novo. 

Baixa autoestima ansiedade

A falta de autoestima pode contribuir fortemente para a ansiedade.

 

A ansiedade distorce a realidade, com isso, a pessoa pode não analisar com eficiência novos negócios e oportunidades.

 

Ciclos intermináveis de "ganhar e perder dinheiro"

fique atento!

 

Coisas acontecem sem você esperar?

Existem pessoas, por exemplo, que vivem dentro de um ciclo vicioso de "ganhar e perder dinheiro", no qual não conseguem sair.

Elas lutam dia após dia, fazem de tudo, mas quando chegam no topo caem, ou então, quando juntam algum dinheiro, já logo acontece alguma coisa e elas têm que gastar tudo.

Parece difícil viver assim não é?

Essas pessoas se cansam um dia de tentar tanto mudar sua vida financeira. Muitas vezes, não percebem o que acontece para que ciclos de "perder e ganhar", "fazer e não alcançar" - se repetem tanto.

Vivemos no mundo e, às vezes somos invadido por ele com ideias, conceitos, valores - que são contrários - àquilo que verdadeiramente somos.

 

Sem refletir e analisar, acatamos coisas que a sociedade nos fala que é "certo", mas que lá no fundo não concordamos. Assim, o ser humano se torna repleto de introjeções que um dia terá que dar conta. 

Veja se dentro de você não existem alguns pensamentos que sabotam o seu crescimento financeiro?

Conforme a minha experiência clínica, explano aqui alguns comportamento que percebo corriqueiramente. Embora, o ser humano seja vasto em riquezas de possibilidades. Abaixo você encontrará algumas das muitas trajetórias que faz perpetuar o ciclo de "ganhar e perder dinheiro".

Cuidado com o pensamento negativo sobre o dinheiro 

 

Muitas pessoas acreditam que ser rico significa não ter humildade. Embora, não seja o dinheiro que dita as regras da caridade interna, mas sim os valores construídos ao longo do tempo. 

Não é difícil presenciar empresários bem-sucedidos auxiliando em espaços sociais. Há quem diga: “Eu nunca vi isso”, mas existe sim. Visite instituições de caridade que você verá de tudo, tanto pessoas de sucesso quanto outras não tão bem assim, mas que se sentem felizes servindo o próximo.

Existe também aquele sujeito que sente culpa, por achar que viver com muito dinheiro é ruim, devido a existência de pessoas em situações difíceis no mundo.

Você sabia que muita gente não gosta de dinheiro? Porque atribui a ele toda a miséria da humanidade. Com isso também, entra num processo de autossabotagem inconsciente.

 

Muitas pessoas associam o dinheiro à coisas ruins, às vezes está relacionado ao passado, a histórias familiares, conceitos aprendidos. E assim, elas não se deixam crescer financeiramente (inconsciente).

Você tem medo que o dinheiro lhe torne uma pessoa diferente?

 

"Tenho medo que o dinheiro mude meu jeito de ser", muitas pessoas dizem isso. Se você é uma dessas, cuidado, porque você pode estar num processo de autossabotagem.

Apesar de ser uma frase tão comum, que escutamos tanto, ela traz um conceito escondido. Você percebe na referência acima, que o poder de transformação é colocado ao dinheiro?

Se o dinheiro tem esse poder, então a própria pessoa não tem?

 

Me parece alguém que não tem tanto contato com o seu mundo interno, que não sabe analisar seus próprios valores, ficando vulnerável ao ambiente. Essa pessoa pode sabotar o próprio crescimento financeiro.

Medo escondido de um dia perder o dinheiro que conquistou

 

Há aqueles que receiam o sucesso e da possibilidade de um dia perdê-lo. Você sabia?

O grande conflito do ser humano é temer a volta a um estado anterior do seu desenvolvimento, onde as coisas não eram boas para ele. Então, essa pessoa pode pensar assim: "Se um dia eu perder o dinheiro, como vou voltar a ser como antes? É melhor que eu não ganhe dinheiro, porque assim, não precisarei  sofrer." 

Dentro dessas condições, a prosperidade passa ser evitada. Mas, você concorda que esse pensamento é bem negativo? E, mesmo que fosse verdadeiro, essa pessoa não consegue flexibilizar? 

 

Assim, um indivíduo totalmente capaz, pode trabalhar muito, mas alcançar pouco.   

Você tem preconceito com pessoas ricas?

O preconceito é um julgamento de valor sobre algo ou alguém. Formulado através de referências sem fundamento, precisão e análise.

 

Algumas pessoas com preconceito, sentem reserva em relação a outras mais ricas, podendo evitar alcançar o sucesso. 

 

O preconceito além de sabotar o sucesso, desconsidera que cada sujeito é ímpar em suas possibilidades. 

Existe possibilidade de sair da crise financeira?

 

Ser majestosamente criativo, ter aquela ideia que ninguém jamais teve, não sentir medo de nada. Esses são desejos que muitos gostariam de alcançar.

 

Percebemos na vida, que muitas pessoas talentosas não conseguem sair do lugar, enquanto outras se dão muito bem. É claro que adversidades intransponíveis mexem com o psicológico de qualquer um. 

Já presenciei muitas pessoas na clínica psicológica conseguindo sair da autossabotagem financeira. Entretanto, também já presenciei outras "desejando da boca para fora" uma mudança de vida, porém, evitando toda a reflexão necessária. 

Existem aquelas pessoas também que se revoltam com a situação e, mudam suas trajetórias, mostrando para o mundo que a transformação é possível.

Contudo, outras não conseguem sair da autossabotagem financeira  sozinhas, elas chegam para terapia após anos de sofrimento e luta. 

 

A psicoterapia como você já sabe, não tem como meta "deixar uma pessoa rica". Mas o intuito de todo terapeuta é de provocar no sujeito uma compreensão maior de quem ele é, quais padrões estereotipados de funcionamento estão presentes em sua vida, entre outros. 

"Abrindo os olhos" percebemos que somos o criador da nossa própria história. Mesmo que não seja fácil atuar em determinado papel. Estar em um papel novo, por exemplo, pode significar desestabilização, exigindo assim flexibilização. Sendo esse um "papel temido", mas irresistivelmente desejado por aqueles que almejam a felicidade!

"Abrindo os olhos" você reconhece seus limites e como vencê-los!

Maria Cristina Santos Araujo

Psicólogo SP - 06/108.975

Endereço: Rua Abílio Soares, 233, 1º andar,        Paraíso - São Paulo - SP 

PSICOLOGA SP -

  • Instagram

ARTIGOS DE PSICOLOGIA

Os artigos aqui publicados representam alternativas para ajudar pessoas a refletir com conteúdo on-line. Porém, o ser humano não se esgota nisto, pois ele é muito vasto em suas possibilidades.

 

As publicações do Site de Psicologia não têm como pretexto substituir uma consulta profissional a um psicólogo, psiquiatra, neurologista, entre outros profissionais da saúde. 

Aviso Legal - Inciso I do Artigo 29 - Lei 9.610/98

É proibida a reprodução parcial e integral das informações contidas neste site, tanto em internet quanto em qualquer outro meio de comunicação sem autorização da autora, mesmo que citada a fonte.

 

As informações aqui contidas, podem ser utilizadas para trabalhos escolares, sem que sejam republicados na internet.

O site tem por caráter a expressão de conteúdos de Psicologia. No qual, conta a partir da visão da autora que é psicóloga, e não tem por caráter substituir consulta a um profissional da saúde.

Psicóloga em São Paulo: MARIA CRISTINA S. ARAUJO

CRP: 06/108.975

COMO ENTRAR EM CONTATO?

Apenas marcação de consulta e para tirar dúvidas sobre valores. 

Demais assuntos podem enviar mensagem para:

mensagem@psicorientacao.com

Devido ao grande volume de mensagens recebidas diariamente, serão respondidas "apenas aquelas em que eticamente posso auxiliar".

AVISO IMPORTANTE!

Por questão ética e clínica, não faço interferência terapêutica sobre pessoas que "não são meus pacientes". Espero que você entenda. Um grande abraço!

PSICÓLOGA SP: MARIA CRISTINA S. ARAUJO

CRP: 06/108.975

PSICÓLOGA SP: LILIAN VIEIRA N. LIMA

CRP: 06/39.533

"Abrindo os Olhos"

em breve

Podcast de Psicologia

Com assuntos interessantes

POLÍTICA DE PRIVACIDADE 

20/02/2021

Dados do responsável técnico

Maria Cristina Santos Araujo é psicóloga registrada pelo Conselho de Psicologia do estado de São Paulo (CRP: 06/108.975).

Nesse momento está trabalhando on-line devido a pandemia de covid-19. Sua presença no consultório presencialmente ocorre em casos específicos. Proprietária da empresa: CLÍNICA DE PSICOLOGIA SINGULARIDADE LTDA. – Inscrita no CNPJ 34.929.022/0001-52 – Endereço: R. Abílio Soares, 233, CONJ 11, Paraíso, São Paulo – SP, CEP 040005-000  

 

 

Tipo de informação coletada

  • Arquivo o seu e-mail somente quando você o adiciona no site voluntariamente, através do envio de mensagem por meio do formulário. O arquivo poderá servir futuramente para divulgação de meus trabalhos. Caso o cliente não tenha interesse, pode deixar registrado que não deseja receber e-mails da minha parte.

  • Além disso poderei utilizar ferramentas para medir e coletar informações de navegação, incluindo o tempo de resposta das páginas, tempo total da visita em determinadas páginas, informações de interação com as páginas. A tecnologia utilizada é o Google Analytics. As informações coletadas são utilizadas para melhorias do site, para criação de conteúdos que melhor atendam o público interessado nos mesmos. 

  • O site é hospedado na plataforma Wix.com. A plataforma online me permite apresentar serviços para os interessados. As suas informações podem ser armazenadas no banco de dados do Wix.com. O Wix.com armazena as suas informações em servidores seguros por firewall. O Wix.com está em conformidade com as regras do PCI DSS (Payment Card Industry Data Security Standards (PCI DSS) e é reconhecida como fornecedor nível 1.

Comunicação com os visitantes do site

  • O método de comunicação com o cliente é por meio de e-mail, quando a solicitação do mesmo é possível de ser realizada. Isso ocorre devido ao número de mensagens recebidas diariamente serem elevadas.  O WhatsApp é utilizado apenas para marcação de consulta e para tirar dúvidas sobre serviços.

 

  • A profissional aqui mencionada não pode fazer interferência terapêutica em pessoas que não são pacientes.

Alteração desta Política de Privacidade

O conteúdo desta Política de Privacidade pode ser alterado conforme a necessidade legal da lei ou outros requisitos de cunho jurídico. Sendo dever do cliente observá-lo sempre que efetuar o acesso à plataforma.

  • Pinterest